A politica de cotas da universidade do Estado do Rio de Janeiro e permanência de corpos negros no espaço universitário- Campus Maracanã

Autores

DOI:

https://doi.org/10.62516/terra_livre.2023.3205

Palavras-chave:

Sistema de Cotas, Curriculo, questões etnico-raciais, permanência universitária

Resumo

O sistema de cotas é uma realidade no processo de acesso de estudantes no Curso de Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ. É sabido que a UERJ detém o protagonismo na implantação do referido sistema e o curso de Geografia da UERJ é diretamente afetado, quando da promoção de uma transformação no perfil de estudante que chega ao ensino superior. Destarte todo o significado de tal sistema, este artigo tem como objetivo discutir sobre as reconfigurações que ocorreram no processo de ingresso, permanência e conclusão do curso. Para realização deste trabalho foi necessário fazer o levantamento do currículo em vigor para a formação de licenciados e bacharéis de Geografia. Levou-se em consideração também a constituição do corpo docente nesse processo de reconhecimento. Indica-se neste texto possibilidades de permanência criadas a partir dos estudantes. Enquanto resultados apresenta-se um corpo discente predominantemente negro, cursando um currículo onde questões étnico-raciais e suas interseccionalidades estão silenciadas, ficando a cargo de cada professora ou professor incluir em seu programa de curso tal discussão.

Biografia do Autor

Nilton Abranches Junior, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

.

Camila Reis Tomaz, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Bacharel em Educação Física (UFRJ), mestra em Ecoturismo e Conservação (UNIRIO), doutoranda em Geografia (UERJ), bolsista FAPERJ

Carolina da Silva Santos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Licenciada em Geografia (UERJ), Mestra em Geografia (PPGGEO-FFP/UERJ), doutoranda em Geografia (UERJ)

Rachel Cabral da Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutoranda em Geografia (UERJ), Mestra em Geografia (UFSM), bacharel em Ciências Sociais (UFRJ), licenciada e bacharel em Geografia (UERJ)

Referências

ARROYO, M.G. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Editora Vozes, 2013.

CASIMIRO, Pammella de Souza. Escre(vi)vendo a Baixada: (des)estruturação do Racismo Ambiental no bairro de Campos Elíseos. 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Ciências Ambientais)- Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2021.

CIRQUEIRA, Diogo Marçal. Entre o corpo e a teoria: a questão étnico-racial na obra e na trajetória socioespacial de Milton Santos. 2010. 161f., Dissertação de Mestrado. Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Geografia (IESA), UFG. 2010. Disponível em https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tde/1857/1/dis%20diogo%20m%20cirqueira%202010.pdf. Acesso em 12.jul.23.

CIRQUEIRA, D. M. CÔRREA, G. S. Questão Étnico-racial na Geografia Brasileira: um DebateIntrodutório sobre a Produção Acadêmica nas Pós-graduações Questão Étnico-racial na Geografia Brasileira: um Debate Introdutório sobre a Produção Acadêmica nas Pós-graduações. Revista da Anpege, p.29-58, V.10, n.13, jan-jun.2014. DOI: https://doi.org/10.5418/RA2014.1013.0002

EVARISTO, Conceição. A escrevivência e seus subtextos. In: Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo / organização: Constância Lima Duarte, Isabella Rosado Nunes; ilustrações Goya Lopes. -- 1. ed. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020.

GUIMARÃES, Geni Ferreira (2020). GEO-GRAFIAS NEGRAS & GEOGRAFIAS NEGRAS. Revista Da Associação Brasileira De Pesquisadores/as Negros/As (ABPN), 12 (Ed. Especial), 292–311. Recuperado de https://abpnrevista.org.br/site/article/view/866. Acesso em 12.jul.23. DOI: https://doi.org/10.31418/2177-2770.2020.v12.c1.p292-311

Kilomba, G. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano Rio de Janeiro: Cobogó, 2019

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política de morte. São Paulo: N-1, 2019.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa & SILVA, Tomaz Tadeu da. Sociologia e Teoria Crítica do Currículo: uma introdução. IN _________ Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 2007

NOGUERA, Renato. Denegrindo a educação: Um ensaio filosófico para uma pedagogia da pluriversalidade. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação. N°18: p.62-73, mai/out, 2012. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/resafe/article/view/4523 DOI: https://doi.org/10.26512/resafe.v0i18.4523

OLIVEIRA, Guilherme dos Santos. Coletivos de estudantes negros no ensino superior brasileiro: políticas da diversidade e organização política estudantil, 66f. Orientadora: Maria Alice Rezende Gonçalves, 2019. Dissertação (mestrado)- Faculdade de Educação da Baixada Fluminense. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Disponível em: https://www.bdtd.uerj.br:8443/bitstream/1/10067/1/Dissertacao%20Guilherme%20dos%20Santos%20Oliveira.pdf.

RATTS, A. P. Corporeidade e diferença na Geografia Escolar e na Geografia da Escola: uma abordagem interseccional de raça, etnia, gênero e sexualidade no espaço educacional. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 46, p. 114–141, 2018. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/680

REIS, Camila Tomaz. Encruzilhadas Geopoéticas na Conservação da Natureza: Territorialidades e Guardas-Parques em Território Cunhambebe. 2021. 399

f. Dissertação (Mestrado em Ecoturismo e Conservação) – Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2021.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos e identidade: uma introdução as teorias do currículo. 2002. Belo Horizonte, Autêntica.

SANTOS, Renato Emerson dos. Reserva de vagas para negros em universidades públicas: Um olhar sobre a experiência brasileira. Revista Advir,(19/Cotas). Rio de Janeiro: ASDUERJ. Setembro, 2005. Disponível em: https://asduerj.org/v7/wp-content/uploads/2022/11/advir19online-1.pdf

Santos, Renato Emerson dos. Rediscutindo o Ensino de Geografia: Temas da Lei 10.639. 1. ed. Rio de Janeiro/RJ: CEAP 2009.

SILVA, Rachel Cabral Da. A escala do corpo-território das mulheres de axé: uma abordagem afrocentrada para uma geografia da liberdade. Anais do XIV ENANPEGE... Campina Grande: Realize Editora, 2021. Disponível em: https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/78282

Silva Rachel Cabral da. Conflitos religiosos e espaço urbano contemporâneo: cruzamento dos fenômenos de dispersão espacial dos sistemas de significações religiosas de neopentecostais e religiões afro-brasileiras no Rio de Janeiro. [Dissertação de Mestrado]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Naturais e Exatas; 2013.

Souza, Neusa Santos. Tornar-se negro ou As vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Zahar. 2021, 171p.

XAVIER, Giovana. XAVIER, Giovana. Você pode substituir mulheres negras como objeto de estudo por mulheres negras contando sua própria história! Rio de Janeiro: Malê, 2019.

Downloads

Publicado

2024-02-23

Como Citar

ABRANCHES JUNIOR, N.; REIS TOMAZ, C.; DA SILVA SANTOS, C.; CABRAL DA SILVA, R. A politica de cotas da universidade do Estado do Rio de Janeiro e permanência de corpos negros no espaço universitário- Campus Maracanã. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 60, p. 403–433, 2024. DOI: 10.62516/terra_livre.2023.3205. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/3205. Acesso em: 17 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)