O Estado Imperial brasileiro se vê no espelho

aproximações sobre o tema Brasil no Ensino de Geografia nos primórdios do Colégio de Pedro II

Autores

DOI:

https://doi.org/10.62516/terra_livre.2023.3204

Palavras-chave:

Brasil, Ensino de Geografia, Colegio Pedro II, Identidade Nacional, Estado Imperial brasileiro

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar como o tema Brasil foi tratado pedagogicamente por meio do ensino de geografia nos primórdios do Colégio Pedro II. Nesse contexto de início das atividades dessa instituição educacional, em 1837, evidenciamos o processo de referenciar ideias acerca de cultura, sociedade, pátria, humanidades e, por conseguinte, sobre o que é o Brasil e a nação, vinculando-o como uma estratégia do Estado Nacional em formação. Os resultados encontrados assinalam o fato de que os programas curriculares, a disciplina escolar Geografia e os livros didáticos constituíam-se em vetores significativos de proposições para fundamentar a construção de uma ideia de território e de brasileiros.

Biografia do Autor

Jorge Luiz Barcellos da Silva, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

UNIFESP

Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Departamento de Educação

Ensino de Geografia

Referências

ANDERSON, Benedict. Nação e consciência nacional. São Paulo: Ática, 1989.

AZEVEDO, Fernando. (Org.). As ciências no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1994.

AZEVEDO, Fernando. A cultura brasileira. 3. ed., v. 3. São Paulo: Melhoramentos, 1958.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Autores de compêndios e livros de leitura (1810-1910). Revista Educação e Pesquisa, v. 30, São Paulo, p. 476-491, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022004000300008

BASTOS, José Romário Rodrigues. Natureza, tempo e técnica: Thomaz Pompeu de Sousa Brasil e o século XIX. Dissertação (mestrado) Fortaleza. Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade Federal do Ceará, 2013.

BOTELHO, Tarcisio Rodrigues. Censos e construção nacional no Brasil Imperial. Tempo Social. Revista de Sociologia da USP. São Paulo, v. 17, n. 1, p. 321-341, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-20702005000100014

BRAGANÇA, Anibal. A transmissão do saber, a educação e a edição de livros escolares. IN: DUTRA, Eliana de Freitas; MOLLIER, Jeans Yves. Política, nação e edição – o lugar dos impressos na construção da vida pública. São Paulo: Annablume, 2006, p. 553-563.

BRASIL, Thomas Pompeo de Souza. Compêndio elementar de geographia geral e especial do Brasil. 3. ed. (argumentada e cuidadosamente corrigida). Rio de Janeiro: Casa do Editor, 1859.

BURTT, Edwin Arthur. As bases metafísicas da ciência moderna. Brasília: UNB, 1983.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. A arte de fazer. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

CHOPPIN, Alain. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. In: Revista Educação e Pesquisa. [online]. São Paulo, 2004, v. 30, n. 3, pp. 549-566. Disponível em : <https://www.scielo.br/pdf/ep/v30n3/a12v30n3.pdf> Acesso em : 20 de fevereiro de. 2011 DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022004000300012

CHOPPIN, Alain. O historiador e o livro escolar. História da Educação, ASPHE/ FaE / UFPel , Pelotas, n. 11, p. 5 -24, abril 2002

.

DE BIAGGI, Enali. Tradições cartográficas e fixação de fronteiras na independência brasileira. Terra Brasilis (Nova Série). 4|2015. Disponível em: http://journals.openedition.org/terrabrasilis/1094. Acesso em: 09 ago. 2016. DOI: https://doi.org/10.4000/terrabrasilis.1094

GASPARELLO, Arlette Medeiros. Encontros de saberes: as disciplinas escolares, o historiador da educação e o professor. In: MONTEIRO, Ana Maria; GASPARELLO, Arlette Medeiros; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (Orgs.). Ensino de história: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X; FAPERJ, 2007.

GASPARELLO, Arlette Medeiros. Construtores de identidade: a pedagogia da nação nos livros didáticos da escola secundária brasileira. São Paulo: Iglu, 2004.

GABRELON, Anderson; SILVA, Jorge Luiz Barcellos. Livro didático: suas funções e o ensino de geografia. In: TONINI, I. M. et al. (Orgs.). O livro didático de geografia e os desafios da docência para aprendizagem. Porto Alegre: Sulina, 2017, p. 113-135.

GONDRA, Jose Gonçalves; SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no império brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

HAIDAR, Maria de Lourdes Mariotto. O ensino secundário no Império Brasileiro. São Paulo: Grijalbo, 1970.

HOBSBAWM, Eric John. Nações e nacionalismos desde 1780. São Paulo: Paz e Terra, 1991.

HOLANDA, Sergio Buarque. A caminho da emancipação política. In: HOLANDA, Sergio Buarque. História geral da civilização brasileira. Tomo II, v. 1. 6. ed. São Paulo: Difel; 1985. p. 15.

LORENZ, Karl Michael. Os livros didáticos e o ensino de ciências na escola secundária brasileira no século XIX. Revista Ciência e Cultura, Cidade, v. 38, n. 3, p. 426-435, mar. 1986.

MANCHESTER, Alan Krebs. Preeminência inglesa no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1973.

MARQUESE, Rafael Bivar. As desventuras de um conceito: capitalismo histórico e a historiografia sobre a escravidão brasileira. Revista de História (USP), v. 169, p. 223-253, 2013. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i169p223-253

MATTOS, Ilmar Rohloff. Construtores e herdeiros – a trama dos interesses na construção da unidade política. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL INDEPENDÊNCIA DO BRASIL HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA. Anais... FFLCH/FAPESP/IEB-USP. 2003, p.7-26 (CD_ROM).

MATTOS, Ilmar Rohloff. O tempo Saquarema. 5. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MATTOS, Selma Rinaldi de. Brasil em lições. A história do ensino de história do Brasil através dos manuais de Joaquim Manuel de Macedo. Dissertação (Mestrado em História) - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 1993.

MOISES, Alzenira Francisca de Azevedo. O Colégio Pedro II: controvérsias acerca de sua fundação. Dissertação (Mestrado em Fundamentos da Educação) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2007.

NEVES, Cyntia Agra de Brito. O berço francês na nossa educação: do projeto do Colégio Pedro II ao Bac-ENEM. Domínios de Lingu@gem, v. 9, n. 4, p. 64-90, 30 dez. 2015. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/31267. Acesso em: 10 dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.14393/DL20-v9n4a2015-4

PIMENTEL FILHO, Jose Ernesto. A aristocratização provinciana em Fortaleza (1840-1890). 1995. Dissertação (Mestrado), Departamento de História - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1995.

SOUSA NETO, Manoel Fernandes. O Compêndio de Geographia Geral e Especial do Brasil. Terra Brasilis, Rio de Janeiro, v. 1, n.1, p. 08-51, 2000. DOI: https://doi.org/10.4000/terrabrasilis.283

REVEL, Jacques. A invenção da sociedade. Lisboa: Difel, 1989.

ROCHA, Genylton Odilon Rêgo da. O Colégio Pedro II e a institucionalização da geografia escolar no Brasil Império. Giramundo, n. 1, ano I, p. 15-34, 2014. Disponível em: <http://www.cp2.g12.br/ojs/index.php/GIRAMUNDO/article/view/7/5>. Acesso em: 02 de fevereiro de. 2015. DOI: https://doi.org/10.33025/grgcp2.v1i1.7

SANTOS, Douglas. A geograficidade da escola e o ensino de geografia. Revista Tamoios, São Gonçalo, RJ, ano 10, n. 1, p. 17-29, jan./jun. 2014. DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2014.11626

SANTOS, Douglas. Geografia das redes: o mundo e seus lugares. Manual do professor. 2. ed. São Paulo: Editora do Brasil, 2013.

SLEMIAN, Andreia; PIMENTA, João Paulo. O ‘nascimento político’ do Brasil. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

TEIXEIRA, Giselle Baptista. Compêndios autorizados, saberes prescritos: uma análise da trajetória de livros nas escolas da Corte Imperial: relatório de pesquisa. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2008.

THIESSE, Anne-Marie. Ficções criadoras: as identidades nacionais. Anos 90 Revista da Pós-graduação em História/UFRGS, Porto Alegre, v. 9, n. 15, 2001. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/anos90/article/view/6609/3932. Acesso em: 24 de dezembro de. 2014. DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.6609

VALCÁRCEL, Jose Ortega. Los horizontes de la geografía. Barcelona: Ariel, 2000.

VECHIA, Ariclê. O ensino secundário no século XIX: instruindo as elites. In: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Camara. História e memórias da educação no Brasil. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2005. v. II, p.78-90.

ZOTTI, Solange Aparecida. O ensino secundário no Império brasileiro: considerações sobre a função social e o currículo do Colégio D. Pedro II. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, v. 18, p. 29-44, jun. 2005.

Downloads

Publicado

2024-02-23

Como Citar

SILVA, J. L. B. da. O Estado Imperial brasileiro se vê no espelho: aproximações sobre o tema Brasil no Ensino de Geografia nos primórdios do Colégio de Pedro II. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 60, p. 658–689, 2024. DOI: 10.62516/terra_livre.2023.3204. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/3204. Acesso em: 17 abr. 2024.