Abordagem geográfica e os desafios por uma construção ativa

natureza, meio ambiente e educação ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.62516/terra_livre.2023.3119

Palavras-chave:

RELAÇÃO SOCIEDADE-NATUREZA, CRISE AMBIENTAL, TEMAS GERADORES DE DEBATE

Resumo

O Encontro Nacional de Ensino de Geografia concentrou uma diversidade de temáticas essenciais ao fortalecimento do debate atual. Neste artigo, serão discutidas as ideias apresentadas no EDP/RE do Eixo – 08: natureza, meio ambiente e educação ambiental. Tem-se, como objetivos, apresentar um panorama geral da discussão realizada no referido eixo, identificar a proposta de educação ambiental que fundamenta os trabalhos e seu respectivo alcance, e verificar a existência de correlações entre as propostas de educação ambiental apresentadas e a perspectiva crítica da educação ambiental. Os procedimentos metodológicos adotados perpassam o levantamento bibliográfico e documental, escuta sensível e sistematização das informações coletadas. Como síntese dos resultados, destaca-se que uma parcela dos trabalhos corroborara com a proposta conservadora de educação ambiental, replicando em suas práticas os discursos fragmentadores baseados na proposta neoliberal comportamental e individualista. Portanto, o desafio da Geografia é desvincular-se do tratamento parcial das questões ambientais.

 

Referências

ACSELRAD, Henri et al. O que é justiça ambiental?. Rio de Janeiro, Garamond, 2009.

BERNARDES, Júlia Adão; FERNANDES, Francisco Pontes de Miranda. Sociedade e Natureza. In: CUNHA, Sandra Baptista da; GUERRA, Antônio José Teixeira (orgs.). A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. p. 17-41.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Paulo Freire, o menino que lia o mundo: uma história de pessoas, de letras e de palavras. São Paulo: Editora da UNESP, 2005.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é método Paulo Freire. 2. ed.Brasiliense, São Paulo: 2006.

BRASIL. Palácio do Planalto. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 27 abr. 1999. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2022.

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Ministério da Educação. Brasília, MEC/SEF (1996).

BRÜGGER, Paula. Educação ou adestramento ambiental? 2ª edição, Editora: Letras Contemporâneas, Florianópolis, 1999, 142pp.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2017. 218 p.

CARVALHO, Marcos de. O que é natureza. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2003. 82 p.

CASSETI, Valter. Ambiente e Apropriação do Relevo, São Paulo,. Contexto, 1991, 147 pp.

CASSETI, Valter. A natureza e o espaço geográfico. In: MENDONÇA, Francisco. KOZEL, Salete (Org.). Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: Ed. da UFPR, 2002, p. 145-163.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1985. 118 p.

DIAS, Genebaldo Freire. Educação ambiental: princípios e práticas. 5. ed. São Paulo: Global, 1998. 552 p.

DIEGUES, Antonio Carlos Sant’Ana. Etnoconservação da natureza: enfoques alternativos. In: DIEGUES, Antonio Carlos Sant’Ana (org.). Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. São Paulo: Hucitec, 2000. p. 4-46.

DIEGUES, Antonio Carlos Sant’Ana. O mito moderno da natureza intocada. 6. ed. São Paulo: Hucitec, 2008. 198 p.

FOSTER, John Bellamy. A ecologia de Marx: materialismo e natureza. Tradução de Maria Teresa Machado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. 418 p.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação – uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. Tradução de Kátia Mello e Silva. São Paulo: Cortez e Moraes, 1979. 102 p.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 23. ed. São Paulo: Cortez, 1989. 49 p.

GUIMARÃES, Mauro. Sustentabilidade e educação ambiental. In: CUNHA, Sandra Baptista da; GUERRA, Antônio José Teixeira (orgs.). A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. p. 81-105.

GUIMARÃES, Mauro. A formação de educadores ambientais. Campinas, SP: Papirus, 2004. 174 p.

GUIMARÃES, Mauro. Por uma educação ambiental crítica na sociedade atual. Margens, Pará, v. 7, n° 9, p. 11-22, 2013. DOI: https://doi.org/10.18542/rmi.v7i9.2767

KRENAK, Ailton. Ecologia Política. ETHNOSCIENTIA. V. 3 (n.2 especial); Núcleo de Cultura Indígena-NCI, Coordenação de Afirmação Cultural e Povos Indígenas, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 2018.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. A resolução de problemas ambientais locais deve ser um tema-gerador ou a atividade-fim da educação ambiental? In: REIGOTA, Marcos (org.). Verde cotidiano: o meio ambiente em discussão. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 1999. p. 131-148.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Subserviência ao capital: educação ambiental sob o signo do antiecologismo. Pesquisa em Educação Ambiental, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 28-47, 2018. DOI: https://doi.org/10.18675/2177-580X.vol13.n1.p28-47

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. 494 p.

LEFF, Enrique. Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza / Enrique Leff; tradução Luís Carlos Cabral. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Questão ambiental e educação: contribuições para o debate. Ambiente & Sociedade - Ano II - No 5 - 2o Semestre de 1999. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-753X1999000200010

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Educação, emancipação e sustentabilidade: em defesa de uma pedagogia libertadora para a Educação Ambiental. In: LAYRARGUES, Philippe Pomier (org.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 85-112.

LOUREIRO, Carlos Frederico B. Premissas teóricas para uma educação ambiental transformadora. Ambiente e Educação, Rio Grande, v 8: p. 37-54, 2003.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação ambiental: questões de vida. São Paulo: Cortez, 2019.

MARX, Karl. O Capital - Livro I – crítica da economia política: O processo de produção do capital. Tradução Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

MENDONÇA, Francisco. Geografia e Meio ambiente. 5ª ed. São Paulo: Ed. Contexto, 2001. 80p.

MENDONÇA, F. Geografia socioambiental. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 16, p. 113–132, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/352. Acesso em: 22 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v16i0.3535

MOREIRA, Ruy. Para onde vai o pensamento geográfico? – Por uma epistemologia crítica. 1ª Edição. 2ª Reimpressão. São Paulo: Editora Contexto, 2009.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Os (des)caminhos do meio ambiente. 1. ed. São Paulo: Contexto, 1989. 148 p.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. A invenção das novas geografias: a natureza e o homem em novos paradigmas In: Santos, Milton. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 3 ed. Rio de Janeiro, Lamparina, 2011.

SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Nobel,1985. 88p.

SANTOS, Milton. A redescoberta da natureza. Estudos Avançados, v 6, n° 14, 1992. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-40141992000100007

SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-cientifico informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológicos da geografia. 6. ed. São Paulo: EDUSP, 2007. 136 p.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2014. 367 p.

SOUZA, Marcelo Lopes de. Ambientes e territórios: uma introdução à ecologia política. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019. 207 p.

SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes. Tempos longos... Tempos Curtos.... Na análise da natureza. GEOGRAFARES, Vitória, no 3, jun. 2002. DOI: https://doi.org/10.7147/GEO3.1125

SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes. Geografia e interdisciplinaridade - Espaço geográfico: interface natureza e sociedade. Geosul, Florianópolis, v.18, n.35, p. 43-53, jan./jun. 2003.

SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes. Um antigo debate (a divisão e a unidade da geografia) ainda atual? Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, nº 85, p. 29-38, 2006.

SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes. Questão ambiental: produção e subordinação da natureza. In: SILVA, José Borzacchiello da, LIMA, Luiz Cruz, DANTAS, Eustógio Wanderley Correia (orgs). Panorama da Geografia Brasileira II./ São Paulo: Annablume, 2006.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de C. Temas ambientais como “temas geradores”: contribuições para uma metodologia educativa ambiental crítica, transformadora e emancipatória. Educar, Curitiba, n. 27, p. 93-110, 2006. Editora UFPR. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-40602006000100007

UNESCO. La educación ambiental: las grandes orientaciones de la Conferencia de Tbilisi. Paris: ONU,1980.

Downloads

Publicado

2024-02-23

Como Citar

LIMA, V. A. Abordagem geográfica e os desafios por uma construção ativa: natureza, meio ambiente e educação ambiental. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 60, p. 434–472, 2024. DOI: 10.62516/terra_livre.2023.3119. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/3119. Acesso em: 17 abr. 2024.