Princípios de organização curricular da geografia na escola brasileira

Autores

  • Marcos Antônio Campos Couto UERJ-FFP AGB-NITERÓI

Resumo

O objetivo deste artigo é debater o currículo de geografia, neste contexto de criação da base nacional comum curricular. Inicia com temas da realidade educacional brasileira e das políticas educacionais, pressupostos das práticas curriculares. Em seguida, a análise do Documento Preliminar à Base Nacional Comum Curricular. No fim, é apresentado proposta alternativa ao conteúdo da BNCC, com outros princípios de organização curricular para o ensino de geografia. Considerando a realidade nacional, de grande concentração de riqueza e poder, o debate serve ao propósito de mobilizar os movimentos sociais, professores, alunos e comunidade da escola pública brasileira para um projeto contundente e claro de superação da acentuada desigualdade social, balizado pelas lutas das trabalhadoras/trabalhadores por direitos sociais e étnico-raciais, direito à terra e à reforma agrária, à segurança alimentar, à morada adequada, ao trabalho digno e devidamente remunerado, à saúde pública preventiva e curativa, à educação pública em todos os níveis, à cultura em diferentes expressões, ao respeito à diferença.

Biografia do Autor

Marcos Antônio Campos Couto, UERJ-FFP AGB-NITERÓI

Graduado em geografia e mestrado em educação pela UFF. Doutorado em geografia pela USP. Estágio de Pós-Doc na Faculdade de Educação da Unicamp. Membro do GT de ensino da AGB-Niterói e professor do Departamento de Geografia da Faculdade de Formação de Professores da UERJ.

Downloads

Publicado

2017-04-27

Como Citar

COUTO, M. A. C. Princípios de organização curricular da geografia na escola brasileira. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 44, p. 144–176, 2017. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/620. Acesso em: 3 fev. 2023.