Josué de Castro – entre o ativismo e a ciência, a introdução da geografia da fome na história do pensamento geográfico no Brasil

Autores

  • Antônio Alfredo Teles de Carvalho

Resumo

O texto busca evidenciar como ao identificar a fome enquanto expressão biológica dos males sociológicos, derivados das distorções econômicas, Josué de Castro inovou e distinguiuse como cientista comprometido com o homem, ser social que na sua concepção revela-se através de uma sociedade faminta e miserável. Na esteira desse processo trilhou por princípios humanistas que conferem um caráter emblemático ao seu pensamento e, conseqüentemente, a sua obra; denotando ser um ativista em consonância com o geógrafo contestador e combativo dos métodos de exploração econômica e social. Malgrado as abordagens centradas no naturalismo exacerbado das analises regionais da geografia clássica, que tinha dificuldades de incorporar o social dentro do seu paradigma teórico. Destarte, introduziu a geografia da fome na história do pensamento geográfico no Brasil na primeira metade do século XX, discutindo e produzindo obras de referência, exemplo de A Alimentação Brasileira à Luz da Geografia Humana e Geografia da Fome, abrindo caminhos para uma geografia critica e comprometida com o fim das desigualdades sociais

Biografia do Autor

Antônio Alfredo Teles de Carvalho

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografi a Humana da Universidade de São Paulo e Professor da Fundação Universidade Estadual de Alagoas - FUNESA, onde coordena o Núcleo de Estudos Josué de Castro Rua da Aurora, 1071/1410 - Boa Vista Recife, PE – CEP: 50.040-090

Downloads

Publicado

2015-09-03

Como Citar

TELES DE CARVALHO, A. A. Josué de Castro – entre o ativismo e a ciência, a introdução da geografia da fome na história do pensamento geográfico no Brasil. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 25, p. 111–120, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/401. Acesso em: 30 maio. 2024.