Ruas e galerias

uma discussão sobre espaço, arte pública e arte urbana

Autores

Palavras-chave:

Espaço, Ruas, Galerias, Arte Pública, Arte Urbana

Resumo

O artigo apresenta as relações e os distanciamentos entre os geossímbolos urbanos, bem como grafite e xarpi, com a arte urbana e a arte pública. A pesquisa está dividida em duas partes, sendo na primeira relacionada à arte das ruas e das galerias, onde nos questionamos a espacialidade do que é considerado arte e do que não é. Na segunda parte, abordamos sobre a paisagem grafitada como fruto da cultura não-hegemônica e a influência que os espaços centrais ou de visibilidade, possuem na produção de determinadas paisagens urbanas. Também abordamos sobre a função estética que os grafites estão desempenhando atualmente na questão urbana e de como podemos pensar a cidade a partir deles. Por meio de levantamento bibliográfico, trabalho de campo e análise de fotografias, temos como apontamentos a relação intrínseca entre espaço, paisagem e representação simbólica. Por fim, destacamos a função que a arte urbana e a arte pública têm no contexto urbano atual.

Biografia do Autor

Dennys Henrique Miranda Nunes, PPGG/ UERJ

Mestrando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), na linha de Globalização, Políticas Públicas e Reestruturação Territorial. Possui graduação em Geografia pela Faculdade de Formação de Professores (FFP) da UERJ (2019). Foi bolsista de Iniciação Científica - PIBIC, na área de FORMAÇÃO CONTINUADA EM REDE: Experiências e Narrativas Docentes do Grupo Alfabetização, Leitura e Escrita (GPALE), coordenado pela Professora Doutora Jacqueline Morais, entre os anos de 2016 e 2018.  Associado AGB/Niterói-RJ

Referências

CORRÊA, Roberto Lobato. Caminhos paralelos e entrecruzados. São Paulo: Editora Unesp, 2018.

GOMES, Paulo Cesar da Costa. O lugar do olhar: elementos para uma geografia da visibilidade. – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

HARVEY, David. 17 contradições e o fim do capitalismo; tradução Rogério Bettoni. São Paulo: Boitempo, 2016.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. – Belo Horizonte: Eitora da Universidade Federal de Minas Gerais, 2008.

LEFEBVRE, Henri. O Direito à Cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

LUIS DOS SANTOS, José. O que é cultura. – São Paulo: Brasiliense, 2006.

OLIVEIRA, Denilson Araujo de; TARTAGLIA, Leandro. Ensaio sobre uma geo-grafia dos graffitis. GEOgraphia, Niterói, v. 11, n. 22, 8 fev. 2011, pp. 59-88.

OLIVEIRA, Denilson Araújo de. Hip Hop e Territorialidades urbanas: uma construção social de sujeitos das “periferias”. Cadernos Penesb – Periódico do Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira – FEUFF, n. 11 (2009/2010). Rio de Janeiro/Niterói – Ed. ALTERNATIVA/Ed. EdUFF, 2010, pp. 73-113.

OS GÊMEOS. Exposição OSGÊMEOS: Nossos Segredos. Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro. 2022.

ROJAS, Sergio. Estética del malestar y expresión ciudadana: hacia uma cultura crítica. Sepiensa.net, 24 out 2006. Disponível em: www.sepiensa.net/edicion.

ROLNIK, Raquel. O que é cidade. São Paulo: Brasiliense, 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2017.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do Espaço Habitado: Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Geografia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2014.

SANTOS, Milton. O centro da cidade do Salvador: Estudo de Geografia Urbana. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

2023-08-02

Como Citar

MIRANDA NUNES, D. H. Ruas e galerias: uma discussão sobre espaço, arte pública e arte urbana. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 59, p. 621–663, 2023. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/2921. Acesso em: 22 fev. 2024.