urbanização difusa em Feira de Santana

produção dispersa de condomínios e fragmentação socioespacial

Autores

Palavras-chave:

Urbanização difusa, Feira de Santana, Fragmentação socioespacial, Condomínios fechados, Cidade dispersa,

Resumo

Este artigo tem como problema central analisar até que ponto a expansão da malha urbana, em função da implantação de condomínios localizados fora da área consolidada da cidade de Feira de Santana; direcionados às classes média e alta, relaciona-se ao fenômeno da urbanização difusa e da fragmentação socioespacial. Os caminhos que foram trilhados para o desenvolvimento deste texto passaram por: levantamento teórico de autores sobre os temas urbanização difusa, cidade dispersa, fragmentação socioespacial e condomínios fechados, pesquisa documental, pesquisa de campo e sistematização dos dados em forma de mapas e tabelas. À guisa de conclusões, o processo de urbanização difusa, em Feira de Santana, que tem como produto a formação de uma cidade dispersa, é relativamente recente. Porém, já é possível notar algumas de suas principais características sociais e espaciais: necessidade de modernização e fluidez urbana, com a formação de novas periferias de status e tendência à fragmentação socioespacial.

Biografia do Autor

Elias Filipe Santos de Oliveira Neves, UEFS

Graduando em Geografia e bolsista PEVIC (UEFS)

Janio Santos, DCHF/UEFS

Pós-doutorado em Planejamento Urbano, Doutor em Geografia e Professor Pleno (DCHF), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). E-mail: janiosantos@yahoo.com.br

Referências

ARAÙJO, A.M.R. De. Expansão urbana de Feira de Santana-BA: atuação do Estado e do setor imobiliário (2004- 2018), 2019. 193f. Tese (Doutorado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social)-Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social, UCSal, Salvador, 2019

BARBOSA, A. G. O marketing imobiliário à luz da estética da mercadoria. Mercator, Fortaleza, v.16, p, 1-13, 2017.

BAUMAN, Z. O mal-estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 1997

BAUMAN, Z. Globalização: as consequências humanas. Rio de janeiro: Jorge Zahar Ed, 1999

BAYER, H.D. e A; DANTAS, E.M. Para além dos “condomínios fechados”: Reflexões sobre medo territórios fortificados e sociabilidade. Geosaberes: Revista de estudos Geoeducacionais, v. 6. N. 3, jul-dez, p. 609-620, 2016.

CALDEIRA, T.P. de.Enclaves fortificados: a nova segregação urbana. Novos estudos, n°47. p. 155-176, 1997.

CATALÃO, I. Dispersão urbana: apontamentos para um debate. Cidades (Presidente Prudente), v. 12, p. 251-277, 2015.

FEIRA DE SANTANA. Lei Complementar n° 75, de 20 de junho de 2013. Fixa os limites interdistritais, amplia o perímetro urbano e delimita 6 (seis) novos bairros do distrito sede do Município de Feira de Santana e dá outras providências. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/ba/f/feira-de-santana/lei-complementar/2013/8/75, acesso em 5 julho 2020.

FIGUEREDO, A.A. Espaços residências fechados em Feira de Santana (1987-2018): uma análise do direito à cidade. 2019, 173 f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Territorial)-Planterr, UEFS, Feira de Santana, 2019.

FREY, K.; DUARTE, F. Auto-segregação e gestão das cidades. Ciências sociais em perspectiva, v.5, n.9, p. 109-119, 2006.

GOES, E. M; SPOSITO, M.E.B. A insegurança e as novas práticas espaciais em cidades brasileiras. Geocrítica, Barcelona, nº 493(54), 2014.

HERMANN, C. R. Breve discussão acerca do uso do espaço urbano: a dicotomização público x privado e a problemática da auto-segregação nas metrópoles brasileiras através dos condomínios exclusivos e dos shopping centers. In: NUPED, Textos, UFRJ, 2004. Disponível em: <http://www.geografia.ufrj.br/nuped/textos/ brevediscussao.pdf>, acesso 19 mar. 2014.

IBGE. Regiões de influência das cidades (REGIC), 2018. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

IBGE. Sidra: Banco de dados. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br. Acesso: 05 fev. 2022.

IBGE. Redes e fluxos do território: ligações rodoviárias e hidroviárias, 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

LEFEBVRE, H. A produção do espaço. Belo Horizonte: UFMG, 2006 (Primeira versão)

LIMONAD, E. Urbanização dispersa mais uma forma de expansão urbana? Formação (Presidente Prudente), v. 1, p. 31-45, 2006.

MAIA, R. S. A produção do espaço em áreas de auto-segregação: o caso da Barra da Tijuca. Anuário do Instituto de Geociência- UFRJ, Rio de Janeiro, v. 21, p 39-75, 1998.

MANCINI, G.A. Avaliação dos custos da urbanização dispersa no Distrito Federal. 2008, 178f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano)–Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

MELGAÇO, L. A cidade de poucos: condomínios fechados e a privatização do espaço público em Campinas. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, v.2, n.1, p. 81-105, 2012.

MONTE-MÓR, R. L. Urbanização extensiva e movas fronteiras urbanas no Brasil. In. RASSI NETO, E; BÓGUS, C. M. (Org.), Saúde nos grandes aglomerados urbanos: uma visão integrada Brasília, DF: OMS; OPAS; Ministério da Saúde, Brasil, 2003, p. 79-95).

PESCATORI, C. Cidade compacta e cidade dispersa: ponderações sobre o projeto do Alphaville Brasília. R.B. Estudos urbanos e regionais, Brasília, v. 17. n.2., p. 40-62, 2015.

RAPOSO, R. Condomínios fechados, tempo, espaço e sociedade: Uma perspectiva histórica. Cad. Metropolitano, São Paulo, V. 14, n.27, p. 171-196, 2012.

REIS, N. G. Dispersão urbana e modernização capitalista. Cidades, v.12, n.21, p 91-107, 2015.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Edusp, 2006.

SMITH, Neil. Desenvolvimento desigual. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1988.

Downloads

Publicado

2022-12-29

Como Citar

SANTOS DE OLIVEIRA NEVES, E. F.; SANTOS, J. urbanização difusa em Feira de Santana: produção dispersa de condomínios e fragmentação socioespacial. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 58, p. 160–196, 2022. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/2298. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos