Trabalho de campo: linguagem produtora de saberes e articulação de práticas pedagógicas e geográficas

Autores

  • Ligia Beatriz Goulart Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Marcio Fenili Antunes Faculdade Cenecista de Osório

Resumo

Os trabalhos de campo são, desde longa data, instrumento de pesquisa dos profissionais da Geografia. Através deles os geógrafos de diferentes filiações teóricas têm encontrado possibilidade de ampliar, confrontar e desenvolver estudos sobre a organização dos espaços. A proposta desse texto é examinar o trabalho de campo enquanto possibilidade de aprendizagem que articula vivências, saberes e conceitos geográficos para a leitura do espaço, tomando-se como base o conceito de lugar de Doreen Massey. A escolha do conceito de lugar mobiliza o sujeito, afetando-o a partir das relações estabelecidas com o espaço nas saídas a campo. Além de lúdicas e interessantes, elas refletem sentimentos, valores e conhecimentos prévios. Para tanto, são apresentadas propostas nas quais as representações dos lugares são analisadas a partir de fotografias, permitindo examinar aspectos das representações produzidas pelos alunos. Favorecem, assim, a apropriação de novos conceitos e a ampliação da compreensão do espaço geográfico.

Biografia do Autor

Marcio Fenili Antunes, Faculdade Cenecista de Osório

Curso de Geografia

Downloads

Publicado

2017-04-09

Como Citar

GOULART, L. B.; ANTUNES, M. F. Trabalho de campo: linguagem produtora de saberes e articulação de práticas pedagógicas e geográficas. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 43, p. 90–104, 2017. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/605. Acesso em: 3 fev. 2023.