Impressões sobre as trajetórias recentes da Geografia Física “integradora” no Brasil

Autores

  • Núbia Beray Armond

Resumo

São diversas as influências no processo de produção do conhecimento científico. Muitas vezes, imperativos sociais e, até mesmo, pessoais demandam dos cientistas algum tipo de solução ou posicionamento. Esta dinâmica transforma as formas de se fazer ciência. No caso mais específico da chamada geografia física, a emergência da “questão ambiental” trouxe uma série de alterações nas formas de se fazer geografia. Desde os temas abordados até as formas de análise das novas problemáticas, as geografias que estudam o meio ambiente trazem novos desafios que ultrapassam a dimensão desta área. Elementos como a emergência dos temas de caráter ambiental, de técnicas e formas de análise mais integradas entre natureza e sociedade, bem como a aquisição de referenciais teóricos, epistemológicos e filosóficos pelos geógrafos estudiosos da natureza, demonstram profundas alterações quando se analisam as formas de se fazer geografia abordando este tema. A reflexão exposta no presente artigo busca demonstrar, por meio de uma breve análise da trajetória da geografia física no Brasil, a possibilidade de despontamento de novas formas de reflexão sobre o conhecimento produzido, especialmente com relação a uma outra natureza da geografia física.

Downloads

Publicado

2016-02-08

Como Citar

ARMOND, N. B. Impressões sobre as trajetórias recentes da Geografia Física “integradora” no Brasil. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 41, p. 101–132, 2016. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/571. Acesso em: 19 jul. 2024.