A PROPRIEDADE PRIVADA DA TERRA NO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO. CRISE E REPRODUÇÃO CRÍTICA

Autores

  • ANA CRISTINA MOTA SILVA

Resumo

A modernização no Brasil se evidencia de diferentes formas. Fenômeno sócio-espacial que se coloca como reprodução crítica no momento em que a mobilização espacialmente circunscrita potencializa projetos de produção espacial e revela lógica-historicamente a contradição do capital urbano-industrial. Esta pode ser analisada sob dois momentos: através da produção do urbano sem a produção de cidades e como um fenômeno que produz o consumidor a evidenciar a incapacidade duma produção do trabalhador. Em síntese esse processo se coloca como crise de valorização do valor a mobilizar/expropriar não somente reprodução ampliada e reprodução crítica. Objetiva-se analisar a mobilização da propriedade privada da terra como processo social que legitima a substância da urbanização brasileira, territorialmente violenta e expropriadora. Discute-se a urbanização sob as necessidades do modo de vida urbano em que a construção de barragens, hidrelétricas e represas atualiza. Discute-se a urbanização sob as necessidades do modo de vida urbano em que a construção de barragens, hidrelétricas e represas atualiza criticamente esta modernização  definida pelas necessidades urbanas.

 

Downloads

Publicado

2015-09-03

Como Citar

MOTA SILVA, A. C. A PROPRIEDADE PRIVADA DA TERRA NO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO. CRISE E REPRODUÇÃO CRÍTICA. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 36, p. 96–125, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/427. Acesso em: 27 jan. 2023.