DE COMO A GEOGRAFIA PODE CONTRIBUIR COM A LEITURA DO MOVIMENTO, ENQUANTO CORPO TEÓRICO EM MOVIMENTO: BREVE RELEITURA DE TESES MARXISTAS

Autores

  • JÚLIO CÉZAR RIBEIRO

Resumo

A história da teoria marxista é tão vasta como suas práticas geográficas. Existem inúmeras formas de manifestação de idealismos e materialismos e as correntes podem até se opor entre si. O materialismo sustenta e se sustenta a partir da relação prática-teoria, mas há tanto tentativas de assassinato de concepções teóricas diferentes como assassinato dos teóricos que as defendem. O fato é que a diferença não deve ser vista como fraqueza, senão como possibilidade de aperfeiçoamento. O marxismo tenta se aproximar do espaço, haja vista que as formulações históricas e teleológicas dos pais do materialismo histórico-dialético não devem ser reproduzidas teologicamente e de modo acrítico pelos continuadores do marxismo, de épocas e lugares diferentes. Fazer isso implicaria negar os princípios dopróprio materialismo: relação entre prática-teoria, real-ideia.

Downloads

Publicado

2015-09-03

Como Citar

RIBEIRO, J. C. DE COMO A GEOGRAFIA PODE CONTRIBUIR COM A LEITURA DO MOVIMENTO, ENQUANTO CORPO TEÓRICO EM MOVIMENTO: BREVE RELEITURA DE TESES MARXISTAS. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 35, p. 69–88, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/418. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos