Formação inicial de professores: uma trajetória com permanências eivada por dissensos e impasses

Autores

  • Rosalina Batista Braga

Resumo

Este artigo discute a formação dos professores da educação básica à luz das representações sociais de escola básica, de docente e de alunos construídas na trajetória da escolarização brasileira.  Busca-se problematizar as propostas presentes na política educacional brasileira, em especial as perspectivas de mudanças na formação de seus docentes, presentes no parecer de maio/2000, atualmente em discussão no Conselho Nacional de Educação (CNE), intitulado “Proposta de diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica, em cursos de nível superior”. Para discutir os traços individualizadores presentes na representação do docente da escola básica, busca-se suas raízes no modelo verbalista construído no Brasil e suas relações com as referências de escolarizaçãoproposta como necessidade para a construção da sociedade moderna, assim como as principais formulações que objetivaram a superação daquela representação. Aqui são destacados alguns aspectos relativos à formação dos professores de Geografia.

Biografia do Autor

Rosalina Batista Braga

Profª. Adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Educação pela FaE/UFMG e Doutora em Geografia Humana pela FFLCH/USP.

Downloads

Publicado

2015-05-24

Como Citar

BRAGA, R. B. Formação inicial de professores: uma trajetória com permanências eivada por dissensos e impasses. Terra Livre, [S. l.], n. 15, p. 113–128, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/363. Acesso em: 29 fev. 2024.