A língua brasileira e a configuração do território

as relações de poder entre Nheengatu, o dialeto Caipira e a Língua Portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.62516/terra_livre.2023.3392

Palavras-chave:

Território, Língua, Poder, Dominação, Brasil

Resumo

A formação do território brasileiro pode ser analisada a partir de diferentes perspectivas, sendo ainda pouco explorada aquela pautada na língua. A pesquisa desenvolvida aqui justifica-se pela fraca produção de estudos abordando a interseção entre a Geografia e o uso da língua como elemento de dominação na constituição de um território. Com recorte temporalmente situado no período pós-1808, quando os interesses portugueses e o papel do Brasil colônia passaram por transformações significativas, objetiva-se refletir sobre a formação territorial brasileira considerando a língua como um importante recurso de dominação para a constituição e legitimação do território. Trata-se de uma discussão teórica com levantamentos junto a fontes bibliográficas e documentais. Conclui-se que a compreensão das relações de poder entre as línguas na formação do território brasileiro não deve ser dissociada do contexto contemporâneo. A luta pela preservação das línguas marginalizadas e o repúdio ao extermínio dos povos indígenas são atos fundamentais na desconstrução das estruturas que perpetuam a dominação.

Biografia do Autor

Osmar Fabiano de Souza Filho, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Geografia. Doutorando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual de Londrina.

Referências

GOMES, L. 1808: como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2014.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

HARVEY, D. O Novo Imperialismo. São Paulo: Loyola, 2004.

HARVEY, D. A Produção Capitalista do Espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

MARTINS, J. de S. O senso comum e a vida cotidiana. São Paulo: Contexto, 2020.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo Editorial, 2010.

RAFFESTIN, C. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ativa, 1980.

SANTOS, M. Metamorfoses do Espaço Habitado. 4ª ed. São Paulo: Hucitec, 1991.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova. 6ª ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

SANTOS, M. O Espaço do Cidadão. 13ª ed. São Paulo: Nobel, 2008

SOUZA, M. L. de; SPOSITO, M. E. B.; CARLOS, A. F. A produção do espaço urbano. São Paulo: Contexto, 2020.

Downloads

Publicado

2024-06-14

Como Citar

SOUZA FILHO, O. F. de; VEIGA, L. A. A língua brasileira e a configuração do território: as relações de poder entre Nheengatu, o dialeto Caipira e a Língua Portuguesa. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 61, p. 360–385, 2024. DOI: 10.62516/terra_livre.2023.3392. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/3392. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)