Estigma territorial e diferenciações socioespaciais da/na periferia

o caso do Pimentas (Guarulhos-SP)

Autores

Palavras-chave:

Estigma territorial, Diferenciação socioespacial, Periferia, Distrito do Pimentas, Guarulhos

Resumo

No urbano, as periferias passam por processos de estigma territorial, associados a outros mecanismos de diferenciação socioespacial. Nesse artigo, trata-se, por um lado, de analisar a construção do estigma territorial do distrito do Pimentas em Guarulhos, através de matérias de jornais e de memes nas redes sociais. Por outro lado, a reflexão consiste em analisar diversos discursos e representações de habitantes de Guarulhos, primeiramente de habitantes que não moram e não conhecem o Pimentas, e que perpetuam o estigma territorial através de uma imagem negativa. No entanto, os habitantes do bairro entrevistados fornecem uma outra visão e desmentem em parte os adjetivos associados ao estigma dos Pimentas: violento, inseguro, pobre. No mesmo sentido, apresentamos os resultados de um Grupo Focal realizado com mulheres moradoras de um conjunto Minha Casa Minha Vida (MCMV) situado no Pimentas, com o objetivo de enfatizar que a diferenciação socioespacial se exerce em todas as escalas.

Biografia do Autor

Taís Souza da Cruz, FCT - UNESP Presidente Prudente

Possui Licenciatura e bacharelado em Geografia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT/UNESP). Atualmente é mestrando pelo Programa Pós-Graduação em Geografia pela mesma instituição.

Jean Legroux, FCT- Unesp Presidente Prudente

Possui graduação em Politique et Société - Institut dÉtudes Politiques de Rennes (IEP), Doutor em Geografia pela Universidade de Lyon 2, Laboratoire Aménagement Économie Transports (LAET), França e em Planejamento Urbano e Regional, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e atualmente é pós-doc no Departamento de Geografia da UNESP-Presidente Prudente (SP), no projeto FragURB - Fragmentação socioespacial e urbanização brasileira: Escalas, vetores, ritmos e formas.

Referências

ACERVO ESTADO DE S. PAULO. Disponível em: <https://acervo.estadao.com.br/> Acesso em: 19 nov. 2021.

ALEXANDER, J., COLOMY, P. Differentiation Theory and Social Change: Comparative and Historical Perspectives. 510 p, Columbia University Press, 1990.

BILGE, S. De l’analogie à l’articulation: théoriser la différentiation sociale et l’inégalité complexe. L’homme et la société, n.176-177, avril-septembre, 2010.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 6 ed. Tradução de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

BOURDIEU, Pierre. Efeitos do lugar. In: BORDIEU, Pierre. (org.) A miséria do mundo. Rio de Janeiro: VOZES, 2008.

CARLOS, Ana Fani. Diferenciação socioespacial. Cidades, v.4, n.6, p.45-60, 2007.

CORNEJO, Catalina Andrea. Estigma Territorial como forma de violencia barrial. El caso del sector El Castillo. Revista Invi, Santiago-Chile, v. 27, n. 76, 2012.

CORRÊA, R. Notas sobre a diferenciação espacial. Geousp, vol. 26, n.1, 2002.

CORRÊA, R. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 1989.

CRUZ, Taís Souza da. Pimentas na periferia metropolitana: reflexões acerca do estigma territorial e de suas contradições.2022. Monografia (Bacharelado em Geografia) - Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2022. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/234643>.

CRUZ, Tais Souza da; LEGROUX, Jean José. Caracterização socioespacial dos Pimentas (Guarulhos –SP): Entre periferia metropolitana e subcentro municipal. In: Semana de Geografia, 2021 - Presidente Prudente/ SP. ANAIS XXI Semana de Geografia: outras Geografias e (A) diversidades, 2021. p.706- 727.

ELIAS, Norbert.; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

ELORZA, Ana. Segregação residencial e estigma territorial. Representações e práticas dos habitantes de territórios segregados. Eure, vol. 45, n.135, mayo 2019, p. 91-109.

FERNANDES, Fernando Lannes. Violência, medo e estigma: efeitos sócio-espaciais da “atualização” do “mito da marginalidade” no Rio de Janeiro. Tese (doutorado em Geografia). Rio de Janeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009.

GAMA, Nilton César de Oliveira. O processo de conformação da periferia da periferia urbana no município de Guarulhos: os loteamentos periféricos como (re) produção de novas espacialidades e lugar de reprodução de força de trabalho. 2009. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras, e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

GOFFMAN, Erving. Estigma: nota sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GONÇALVES, Valdir José. A segregação e o estigma socioespacial presentes na formação histórica do Bairro Teotônio Vilela em Ilhéus/BA. 2016. Dissertação (Mestrado em Teologia) - Faculdade EST, São Leopoldo, 2016.

GUARUTROLLS. Disponível em: <https://www.facebook.com/GUARUTROLLS> Acesso em: 12 nov. 2021.

GRU MIL GRAU. Disponível em:< https://www.facebook.com/grumilgrau> Acesso em: 12 nov. 2021.

JÚNIOR, S.-C. Diferenciação territorial e urbanodiversidade: elementos para pensar uma agenda urbana em nível nacional. Cidades, v.7, n.12, 2010.

JUTEAU, D. Introduction à la différenciation sociale. In: Danielle Juteau (dir.) La différenciation sociale: modèles et processus. Montréal: Presses de l'Université de Montréal. 298 p, 2003.

OJIMA, Ricardo.; MARANDOLA JR, Eduardo.; PEREIRA, Rafael Henrique Moraes.; SILVA, Robson Bonifácio. O estigma de morar longe da cidade: repensando o consenso sobre as “cidades-dormitórios” no Brasil. Cad. Metrop. São Paulo, v.12, n.24, p.395 - 415, 2010

PAIVA, Luiz Fábio S. Contingências da violência em um território estigmatizado. XIII Congresso Brasileiro de Sociologia. Fortaleza. 2007.

RECUERO, Raquel.; SOARES, Priscilla. Violência simbólica e redes sociais no facebook: O caso da fanpage “Diva Depressão”. Galaxia (São Paulo, online), n. 26, p. 239-254, dez. 2013.

RIZZON, Renata Cristina. CRUZ, Taís Souza. OLIVEIRA, Pablo Muryllo. Fragmentação socioespacial e Estigma territorial: Reflexões sobre a produção do espaço urbano na atualidade. In: SIMPURB, 2022 - Curitiba/PR. ANAIS XVII Simpósio Nacional de Geografia Urbana, 2022. (No prelo)

ROMÃO, Gasparino José.; NORONHA, Adolfo de V. Guarulhos 1880 - 1980. Guarulhos: PMG, 1980.

SANTOS, Carlos José F. Identidade Urbana e Globalização: a formação dos múltiplos territórios em Guarulhos/SP. 1. ed. São Paulo: Annablume/SINPRO-Guarulhos, 2008.

SANTOS, Plínio Soares dos. A transformação da estrutura urbana na cidade de Guarulhos e a constituição de uma nova centralidade no Bairro de Pimentas. Dissertação (Mestrado em projeto, produção e gestão do espaço) – FIAM FAAM, São Paulo, 2017.

SILVA, Bruna Alves.; OLIVEIRA, Eliézer Cardoso.; OLIVEIRA, Maria de Fátima. Os memes como retórica depreciativa nas relações entre Barra do Garça (MT) e Aragarças (GO). Mídia e Cotidiano, vol. 14, n. 1, p. 179 – 203, 2020.

SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão. Fragmentação socioespacial e urbanização brasileira: escalas, vetores, ritmos, formas e conteúdos (FragUrb). São Paulo, Fapesp, 2018 [projeto de pesquisa temático]

WACQUANT, Löic. A estigmatização territorial na idade da marginalidade avançada. Sociologia. Departamento de Sociologia – Faculdade de Letras/UP, v..XI, Porto, 2006.

Wacquant, L., Slater, T., Borges Pereira, V. (2014) Estigmatización territorial en acción. Revista invi, 29 (82), 219-240

Downloads

Publicado

2023-08-02

Como Citar

SOUZA DA CRUZ, T.; LEGROUX, J. Estigma territorial e diferenciações socioespaciais da/na periferia: o caso do Pimentas (Guarulhos-SP). Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 59, p. 396–435, 2023. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/2938. Acesso em: 15 jul. 2024.