TERRITÓRIO E IDENTIDADE: UMA ANÁLISE DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DA OLARIA EM IRARÁ, BAHIA

Autores

  • JUCÉLIA BISPO DOS SANTOS

Resumo

Atualmente no Brasil consideram-se remanescentes das comunidades dos quilombos os grupos étnicos raciais,  segundo critérios de auto-atribuição, com trajetória própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida, conceito construído com base em conhecimento científico antropológico e sociológico, e fruto de ampla discussão técnica, reconhecido pelo Decreto nº 4.887/ 03 em seu art. 2º. O Estado brasileiro, por meio dos órgãos públicos, trabalham com esta categoria, assim como toda a sociedade: imprensa, órgãos públicos e agentes políticos. Hoje se fala de quilombos como uma designação jurídico constitucional para delimitação do território quilombola.  Portanto, entende-se que é relevante a elaboração de estudo aprofundado que ampare os elementos que constituíram oconceito de quilombo.

Biografia do Autor

JUCÉLIA BISPO DOS SANTOS

Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2002), mestrado em Estudos Étnicos e Africanos pela Universidade Federal da Bahia (2008) e doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Sergipe (2014). Tem experiência na área de História, com ênfase em História África, atuando principalmente nos seguintes temas: quilombolas, identidade e etnicidade.

Downloads

Publicado

2015-08-13

Como Citar

BISPO DOS SANTOS, J. TERRITÓRIO E IDENTIDADE: UMA ANÁLISE DA COMUNIDADE QUILOMBOLA DA OLARIA EM IRARÁ, BAHIA. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 32, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/285. Acesso em: 23 jun. 2024.