IDENTIDADE TERRITORIAL QUILOMBOLA - UMA ABORDAGEM GEOGRÁFICA A PARTIR DA COMUNIDADE CAÇANDOCA (UBATUBA/SP)

Autores

  • MARIA TEREZA DUARTE PAES LUCHIARI Professora do Depto de Sociologia da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • ISABEL ARAUJO ISOLDI

Resumo

O direito à titulação coletiva de terras pertencentes às comunidades rurais de negros, concedido pelo Estadobrasileiro desde 1988, impulsionou uma série de processos e articulações sociais em prol do reconhecimento identitário quilombola. Diversos grupos negros rurais se inseriram no sistema jurídico-político do Estado-nação brasileiro,  transformando e tornando híbridos seus usos tradicionais do espaço. As territorialidades destes grupos, formadas no passado como uma conseqüência à exclusão sócio-espacial historicamente vivenciada pelos negros explorados pelo sistema escravista, vem sendo afirmadas e resignificadas através da posse territorial como um marco identitário. O presente texto propõe uma análise destes processos a partirda realidade da Comunidade da Caçandoca, Ubatuba/SP.

Biografia do Autor

ISABEL ARAUJO ISOLDI

Mestranda em Geografia -
Universidade Estadual de
Campinas - UNICAMP

Downloads

Publicado

2015-08-12

Como Citar

PAES LUCHIARI, M. T. D.; ARAUJO ISOLDI, I. IDENTIDADE TERRITORIAL QUILOMBOLA - UMA ABORDAGEM GEOGRÁFICA A PARTIR DA COMUNIDADE CAÇANDOCA (UBATUBA/SP). Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 29, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/246. Acesso em: 29 fev. 2024.