O RACIOCÍNIO ESPACIAL NA ERA DAS TECNOLOGIAS INFORMACIONAIS

Autores

  • VALDENILDO PEDRO DA SILVA Professor do Departamento de Recursos Naturais do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFRN

Resumo

No mundo contemporâneo, ou, mais precisamente, nesta era da informação instantânea e simultânea, o raciocínio geográfico tem se destacado e, simultaneamente, se alterado por meio de novos aspectos sociais e tecnológicos. O presente estudo foi realizado com dezenove docentes integrantes de vários cursos de formação de professor de geografia de instituições públicas e privadas de diversas regiões do Brasil. Esses docentes têm utilizado as novas tecnologias no ensino de Geografia, seja pesquisando e/ou produzindo trabalhos. Diante disso, perseguimos o estudo na busca de se responder a seguinte indagação: em que medida a utilização das novas tecnologias favorece o raciocínio espacial? As tecnologias atuais, como veículos de informações, não têm a finalidade de desenvolver o “saber pensar o espaço” ou de realizar o “raciocínio espacial”, mas mesmo sem essa finalidade as pessoas aprendem geografia, pensam com a presença dessas tecnologias. O ensino de Geografia contribuiu para a formação de diversas pessoas por meio do desenvolvimento do raciocínio espacial realizado em duas diferentes escalas, do local ao global, mostrando articulações entre os diversos níveis de abstração, desde o espaço do trabalho até sua inserção em uma sociedade que se internacionaliza de maneira acelerada.

Downloads

Publicado

2015-08-12

Como Citar

DA SILVA, V. P. O RACIOCÍNIO ESPACIAL NA ERA DAS TECNOLOGIAS INFORMACIONAIS. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 28, p. 67–90, 2015. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/223. Acesso em: 20 maio. 2024.