AS DIMENSÕES DA REESTRUTURAÇÃO SOCIOESPACIAL NA GEOGRAFIA BRASILEIRA: CAMINHOS E PERSPECTIVAS

Autores

  • Ingrid Gomes da Silva Universidade Estadual do Ceará
  • Luiz Cruz Lima

Resumo

A compreensão da reestruturação socioespacial possibilita um caminho para a Geografia discorrer sobre os movimentos e transformações, em diversos âmbitos, e corrobora a proposição de análises eminentemente espaciais, fortalecendo seus discursos e usos. Nesse sentido, o objetivo central desse artigo foi contribuir com a dimensão teórico-metodológica da reestruturação socioespacial, apontando seu caráter quadrimensional, quando referenciamos as transformações análogas ao espaço e, logo, à sociedade. Assim, como percurso metodológico, além da revisão de literaturas, foi feito um levantamento temático nas revistas da plataforma sucupira (Qualis A1 à B5). A partir disso, foi possível perceber a atribuição a uma visão quadrimensional da reestruturação socioespacial enquanto conceito, processo, metodologia e categoria, bem como para onde está caminhando o debate nas Ciências, visando entender a espacialização do conceito e seus usos científicos.

Biografia do Autor

Ingrid Gomes da Silva, Universidade Estadual do Ceará

Mestra em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação (ProPGeo/UECE). Foi bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Possui Graduação em Geografia/Bacharelado pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Atualmente, cursa Geografia/Licenciatura na UECE. Especialista em Gestão de Políticas Públicas e Sociais pela Faculdade Única - PROMINAS. Integra o Grupo de Pesquisa "Sistemas técnicos e espaço" certificado pelo CNPq. É vinculada ao Laboratório de Estudos do Campo, Natureza e Território - LECANTE. É vinculada ao Grupo de pesquisa e Articulação Campo, Terra e Território - NATERRA. Além disso, participa do Grupo de Estudos Urbanos e Direito a Cidade - GEURD.

Luiz Cruz Lima

Possui graduação em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Ceará (1971) e doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (1994). Atualmente é professor emérito e professor titular da Universidade Estadual do Ceará, docente do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UECE, coordenador do grupo de pesquisa cnpq Sistemas Técnicos e Espaço, membro do Fórum do Parque do Cocó do Ministério Público Federal, professor colaborador da Universidade Estadual Vale do Acaraú, consultor ad hoc da Fundação Cearense de Amparo à Pesquisa, consultor da Associação dos Geógrafos Brasileiros, consultor ad hoc da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, membro do Conselho Editorial da Editora da Uece. Autor de vários livros e artigos. Tem experiência no ensino e na pesquisa na área de Geografia, com ênfase em Geografia Econômica, Política e Regional, atuando principalmente nos seguintes temas: reestruturação socioespacial, modernização seletiva, sistemas técnicos e espaço.

Referências

ARISTOTELES. Physique. Paris: Belles Lettres, 1931.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto n. 6.583, de 29 de setembro de 2008. Promulga o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado em Lisboa em 16 de dezembro de 1990. Diário Oficial da União, Brasília, Ano CXLV n. 189, 30 set. 2008.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996.

CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

CATALÃO, I. Socioespacial ou sócio-espacial: continuando o debate. Revista Formação Online, v. 2, n. 18, p. 39-62, jul./dez., 2011.

GOMES, M. T. S. O Processo de reestruturação produtiva em cidades médias do oeste paulista: Araçatuba, Birigui, Marília, Presidente Prudente e São José do Rio Preto. 331f. 2007. Tese (Doutorado em Geografia - Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana, Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

GOMES, M. T. S. O debate sobre a reestruturação produtiva no Brasil. RAEGA, Curitiba, v. 21, p. 51-77, 2011.

GOTTDIENER, M. A Produção social do espaço urbano. São Paulo: EDUSP, 1993.

HARVEY, D. O direito à cidade. Lutas Sociais, São Paulo, n. 29, p.73-89, jul./dez. 2012.

LENCIONE, S. Reestruturação: uma noção fundamental para os estudos transformações e dinâmicas metropolitanas. ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 6, 2005. Buenos Aires, Anais... Buenos Aires: UBA, 1998, p.1-10.

LIMA, L. C. A reestruturação espacial: meio de inserir-se no novo mundo. Humanidades e Ciências Sociais, v. 1, n. 2, p. 59 – 64, 1999.

LIMA, L. C. Reestruturação socioespacial: do espaço banal ao espaça da racionalidade técnica. São Paulo: Annablune, 2006

LIMA, L. C. Reestruturação socioespacial do Ceará. In: ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS, 15, 2008, São Paulo. ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS: O ESPAÇO NÃO PÁRA POR UMA AGB EM MOVIMENTO, 2008, 15, Anais... São Paulo: USP, 2008.

MEDEIROS, A. B. de. Considerações sobre o prefixo re-. Alfa: Revista linguística, São José do Rio Preto, v. 56, n. 2, 2012.

MOREIRA, R. As categorias espaciais da construção geográfica da sociedade. GEOgraphia, Rio de Janeiro- Niterói, v. 3, n. 5, p. 15-42, 2001.

MOREIRA, R. Os quatro modelos de espaço-tempo e a reestruturação. GEOgraphia, Niterói, a. 4, n. 7, 2002.

SANTOS, M. Espaço e Sociedade. Petrópolis: Editora Vozes, 1979.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova: da crítica da Geografia a uma Geografia Crítica. 3. ed. São Paulo: HUCITEC, 2008.

SANTOS, E. de O.; LIMA, L. C. Reestruturação socioespacial do território cearense: serviços modernos em evidência nos subespaços dinâmicos. ACTA Geográfica, Boa Vista, v. 6, n.13, set./dez. p. 59-76, 2012.

SOUZA, M. L. de. Da diferenciação de áreas à diferenciação socioespacial: a visão (apenas) de sobrevoo como uma tradição epistemológica e metodológica. Cidades, São Paulo, v. 4, n. 6, p. 101–114, 2007.

SOUZA, M. L. de. Em torno de um hífen. Formação, Presidente Prudente, v. 1, n. 15, p. 159-161, jan./jul., 2008.

SOUZA, M. L. de. Introdução: a “nova geração” de movimentos sociais urbanos − e a nova onda de interesse acadêmico pelo assunto. Cidades, Presidente Prudente, v. 6, n. 9, p. 9-26, jan./jun., 2009.

SOUZA, M. L. de. Os conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

SOJA, E. W. The socio-spatial dialectic. Annals of the Association of the American Geographers, Washington, v. 70, n. 2, p. 207-225, abr./jun., 1980.

SOJA, E. W. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

SPOSITO, M. da E. O chão em pedaços: urbanização, economia e cidades no Estado de São Paulo. 2004. 508 f. Tese (Livre Docência em Geografia) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade de São Paulo, Presidente Prudente, 2004.

VIANA, J. N. L. Rupturas e continuidades: a produção do espaço e o processo de reestruturação: um olhar a partir de São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. 312f. 2019. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2019.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

DA SILVA, I. G.; LIMA, L. C. AS DIMENSÕES DA REESTRUTURAÇÃO SOCIOESPACIAL NA GEOGRAFIA BRASILEIRA: CAMINHOS E PERSPECTIVAS. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 55, p. 73–119, 2021. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/2081. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos