O pacto federativo brasileiro e o planejamento regional em tempos de crise: estratégias, fragilidades e desafios

Autores

  • Dayana Aparecida Marques de Oliveira Cruz

Resumo

Neste artigo, defendemos que a instabilidade político-institucional do pacto federativo brasileiro advém, dentre outros fatores, do papel de semiperiferia que o país ocupa no sistema-mundo e da alternância entre centralização e descentralização do planejamento regional. A condição de semiperiferia do Brasil no sistema-mundo caracteriza o espaço geográfico brasileiro como uma síntese das contradições entre a subordinação e a liderança, pois materializa na escala nacional, entre as unidades federadas, os diferentes níveis de inserção no mercado internacional.  O objetivo deste texto é discutir a relação entre o federalismo brasileiro e o planejamento regional, considerando suas relações multiescalares. Concluímos que o pacto federativo brasileiro é um desafio para a organização territorial e para a configuração de uma geografia política integradora, sobretudo diante da proposta da PEC 188/2019.

Biografia do Autor

Dayana Aparecida Marques de Oliveira Cruz

Doutora, mestre e graduação em Geografia pela FCT/UNESP.

Downloads

Publicado

2020-09-27

Como Citar

OLIVEIRA CRUZ, D. A. M. de. O pacto federativo brasileiro e o planejamento regional em tempos de crise: estratégias, fragilidades e desafios. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 54, p. 141–169, 2020. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/1782. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos