O movimento indígena contemporâneo e os conflitos no campo sob a ótica da Geografia

Autores

Resumo

Este artigo, que nasce de nossa pesquisa de mestrado, busca destacar o histórico das lutas engendradas pelos povos indígenas no Brasil e os contextos que levaram a constituição de lutas conjuntas que engendram o Movimento Indígena. Compreendida por alguns autores como parte de movimentos socioterritoriais, este Movimento possui uma multidimensionalidade, assim como suas lutas, com características que os diferenciam de outros movimentos e de outras lutas por terra ou território. A própria compreensão de território destes povos está distante da compreensão comum de outros movimentos em luta no campo brasileiro. As pesquisas da ciência geográfica, que já há alguns anos se debruça sobre a realidade agrária no Brasil, ainda tem pela frente o desafio de aprofundar a reflexão sobre os conflitos neste contexto e o papel desempenhado pelos povos indígenas. Buscamos com este artigo, sinalizar para alguns rumos possíveis.

Biografia do Autor

Gilberto Vieira dos Santos, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Geógrafo, mestrando em Desenvolvimento Territorial da América Latina e Caribe (IPPRE/Unesp);  Atuação nas temáticas: Indigenismo, Geografia Agrária, Desenvolvimento, Políticas Publicas, Violência contra Povos Indígenas, Conflitos no campo, Direitos Humanos, Povos Indígenas, Diversidade

Downloads

Publicado

2019-08-26

Como Citar

SANTOS, G. V. dos. O movimento indígena contemporâneo e os conflitos no campo sob a ótica da Geografia. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 52, p. 323–359, 2019. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/1520. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos