A geopolítica da mídia no Brasil e no Mundo

Autores

  • João Victor Moré Ramos Universidade Federal de Santa Catarina
  • José Messias Bastos Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Com a ampliação e massificação da produção de informações pelos aparelhos multimidiáticos, sobretudo com a ascensão da internet nos finais da década de 80, é possível dizer que a revolução cibernética germinada nos auspiciosos anos da Guerra Fria assumiu contornos inéditos de sofisticação na luta travada entre interesses nacionais versus imperialismo (neocolonização). O surgimento das redes sociais, por exemplo, abriu espaço para um universo experimental de novas formas de relacionamento e articulação em torno de objetivos comuns, que, todavia verticalizadas em suas mediações e relações de força, não lograram uma alteração substancialmente qualitativa nos sistemas de informação. À luz destes mecanismos, o artigo busca articular tais aspectos multimidiáticos ao do Golpe de Estado configurado no Brasil em 2016.

Biografia do Autor

João Victor Moré Ramos, Universidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós Graduação em Geografia - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Geografia - Laboratório de Estudos Regionais e Urbanos - Area geografia economica e social

José Messias Bastos, Universidade Federal de Santa Catarina

Prof. Dr. no Programa de Pós Graduação em Geografia - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Geografia - Laboratório de Estudos Regionais e Urbanos - Area geografia economica e social

Downloads

Publicado

2019-01-04

Como Citar

RAMOS, J. V. M.; BASTOS, J. M. A geopolítica da mídia no Brasil e no Mundo. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 50, p. 34–64, 2019. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/terralivre/article/view/1441. Acesso em: 3 fev. 2023.