O estranho nas sombras

reflexões sobre o espaço, o território e as paisagens do medo

Autores

Palavras-chave:

paisagens do medo, territorialidade, códigos do espaço

Resumo

Resumo: O presente ensaio objetivou a construção de possíveis correlações entre as territorialidades estabelecidas pelos mais diversos agentes e sua influência no espaço, como elementos capazes de construir símbolos ou códigos espaciais geradores de sentimentos ao ser humano, dentre os quais, o de medo. O texto se pautou numa análise de conceitos e teorias geográficas a respeito dos conceitos de espaço, território e paisagem, e suas possíveis repercussões na psicoesfera humana. Ao fim, concluiu-se que a ideia de paisagem do medo será sempre relativa e estará diretamente ligada à uma dicotomia entre a territorialidade que se vive e uma territorialidade que não se vive, portanto, decorrente de uma sensação de ruptura diante de códigos diferentes daqueles inerentes ao espaço que corriqueiramente se exerce a existência.

     

Biografia do Autor

Roberto Magno Reis Netto, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. ESCOLA SUPERIOR MADRE CELESTE

Doutorando em Geografia (linha dinâmicas territoriais na Amazônia, com ênfase em "geografia e segurança pública"). Mestre em Segurança Pública pela Universidade Federal do Pará (2018). Especialista em Direito Processual Civil pela Universidade Gama Filho/DF (2009), Docência Superior pela Universidade Gama Filho/DF (2012), e, Atividade de Inteligência e Gestão do Conhecimento pela Escola Superior M. Celeste/PA (2016). Pós-graduando em Direito Digital e da Inovação Tecnológica. Graduado em Direito pela Universidade Federal do Pará (2007). Atualmente é Professor Universitário na Faculdade da Amazônia, na Pós-graduação (nos cursos de Direito Militar e Gerenciamento de Crises) e graduação (ocupante das cadeiras de direito processual civil, Direito Digital e da Inovação Tecnológica e de Hermenêutica Jurídica, já tendo ocupado, noutras instituições, as cadeiras de Metodologia da Produção Científica - TCC I e TCC II - e Prática Jurídica) e na Faculdade Cosmopolita (Pós-graduação em Atividade de Inteligência e gestão em Segurança Pública). Eventualmente, atua como Instrutor junto ao Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará - IESP, (Curso de Formação de Oficiais - Bacharelado em Defesa Social e Cidadania, Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais - CAO e Curso Superior de Polícia - CSP). É pesquisador fundador do Érgane - Instituto Científico da Amazônia, e membro do Laboratório de Pesquisa em Geografia da Violência e do Crime - LABGEOVCRIM, da Universidade do Estado do Pará - UEPA e do Grupo de Métodos em Diagnóstico em Segurança Pública - PPGSP/UFPA. É Oficial de Justiça Avaliador do TJE/PA (tendo exercido, por cinco anos, a função de Analista Judiciário junto à mesma corte), prestando serviços junto ao Fórum da Comarca de Benevides/PA. Exerceu especial prestação de serviços junto à Vice-Presidência do Egrégio TJE/PA e junto ao gabinete de Juiz Convocado entre fevereiro de 2013 e novembro de 2014. Tem experiência na área de Segurança Pública, Educação, Metodologia, Direito, com ênfase em Direito Processual Civil. Coordenador e Participante de grupos de Pesquisa.

 

Clay Anderson Nunes Chagas, UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ / UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

 

Possui graduação em Geografia Licenciatura e Bacharelado pela Universidade Federal do Pará (1998), mestrado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (2002) e doutorado em Desenvolvimento Socioambiental pela Universidade Federal do Pará (2010). Atualmente é Reitor da Universidade do Estado do Pará, participa do Programa de Pós Graduação em Geografia e do Programa de Pós Graduação em Segurança Pública pela Universidade Federal do Pará como professor Permanente. Professor da Universidade do Estado do Pará atuando no curso de graduação em Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia. Professor Colaborador no Instituto de Ensino em Segurança Pública e Defesa Social do Estado Pará e Professor Colaborador da Universidade de Cabo Verde no Programa de Pós Graduação em Segurança Pública. É associado ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Sócio da Associação Internacional de Criminologia de Língua Portuguesa. Membro do Instituto Histórico Geográfico do Pará. É consultor do Roster pré aprovado para a América Latina do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD/ONU) na categoria de Prevenção à Violência (2016-2018). Líder do Laboratório de Pesquisa e Análise em Geografia da Violência e do Crime. Tem experiência de Segurança Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: Gestão do Território, Criminalidade, Homicídio e Cartografia.          

Clarina De Cassia Da Silva Cavalcante, ÉRGANE - CIENTISTAS DA AMAZÔNIA / SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO PENITENCIÁRIA DO PARÁ

Possui graduação em enfermagem pela Universidade Federal do Pará (2007). É especialista em Enfermagem Neonatal, pela Universidade Federal do Pará (2009), Enfermagem do Trabalho pela FTI-UNINTER (2012) e Atividade de inteligência e gestão do conhecimento pela ESMC (2019). Técnica em Gestão Penitenciária, Enfermeira, Consultora. Participante de Grupos de pesquisa (Érgane - Pesquisadores da Amazônia).

     

Referências

AMORIM, C. Comando Vermelho. Rio de Janeiro: BestBolso, 2011.

CASTRO, Nádile Juliane Costa de. Memórias de um mercado em abandono. Revista Ciências da Sociedade (RCS), Vol. 2, n. 3, p.319-329. 2018.

FOUCAULT, Michel. A Microfísica do Poder. 2. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

HAESBAERT, Rogério. Viver no Limite: Território e Multi/Transterritorialidade em tempos de in-segurança e contenção. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

LEFEBVRE, Henry. A produção do espaço. Tradução Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins. 4. Ed. Paris: Anthropos, 2000.

LUPTON, Ellen. O design como storytelling. Osasco: Gustavo Gili, 2020.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Ática, 1993.

AUTOR. Além das grades: A integração dos presídios às redes territoriais do tráfico drogas (dissertação). Belém: PPGSP/UFPA, 2018.

AUTORES. A associação externa como forma de integração dos presídios às redes externas do tráfico: a percepção dos agentes territoriais da segurança pública no Pará. Estudos Geográficos, v. 16, n. 2, p. 157-173. 2018.

AUTORES Associação interna como forma de integração dos presídios às redes externas do tráfico: a percepção dos agentes territoriais da segurança pública no estado do Pará. Rev. direito GV, v. 15, n. 2, P. 1-20, 2019.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: Técnica e tempo, razão e emoção. 4. Ed. São Paulo: EDUSP, 2017.

_____. O Retorno do território. In: OSAL. Observatorio social de América latina. Território y movimientos sociales. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

TUAN, Y. F. Paisagens do Medo. São Paulo: UNESP, 2005.

XAVIER, Adilson. Storytelling: Histórias que deixam marcas. Rio de Janeiro: best business, 2015.

Downloads

Publicado

14/09/2022

Como Citar

REIS NETTO, R. M.; CHAGAS, C. A. N.; CAVALCANTE, C. D. C. D. S. O estranho nas sombras : reflexões sobre o espaço, o território e as paisagens do medo. Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 57, p. 10–38, 2022. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/index.php/terralivre/article/view/2309. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos