Considerações sobre o trabalho docente no Brasil: uma breve radiografia e apontamentos presente-futuros.

Autores

  • Rodrigo Coutinho Andrade DEGEO-IM/UFRRJ
  • Luana Ferreira Correia SME-RJ

Palavras-chave:

Formação de professores, Trabalho docente, Diretrizes Curriculares, Professor de novo tipo.

Resumo

O atual cenário das políticas públicas para a educação carrega em sua centralidade o trabalho docente tanto no percurso formativo inicial-continuado, quanto nas medidas para a ampliação da regulação-controle por meio do refino das premissas da qualidade sob a ótica do capital. Por meio da reformulação das diretrizes curriculares dos cursos de licenciatura, assim como da Educação Básica, e dos mecanismos quantofrênicos, inexorável do contexto de ofensiva ideológica, derivados do atual estágio do processo de recomposição burguesa e sua refração para a formação humana, tomamos enquanto problema da presente pesquisa o atual estado de precariedade e as intencionalidades materiais e imateriais sobre o magistério no país. Neste sentido, objetivamos examinar as transformações objetivas e subjetivas para a materialização das práticas pedagógico-curriculares, nos diferentes níveis e modalidades de ensino, por meio da análise dos documentos institucionais e corporativos, em diferentes escalas, e dos dados oficiais. Trata-se de uma pesquisa básica, de análise qualitativa, de caráter explicativo, que se insere na categoria de pesquisas de tipo bibliográfico-documental, consolidada por meio do exame bibliográfico dos estudos sobre a temática, dos dados estatísticos institucionais, de relatórios de organizações supranacionais, e de parte dos documentos oficiais que incidem sobre o trabalho docente. As principais conclusões e resultados apontam para transformações significativas do/no processo formativo por meio do incentivo ao pragmatismo nos moldes do saber ser e fazer, do trabalho docente através da intensificação da precariedade e da mutação em parte do perfil dos professores, e do incremento das premissas do gerencialismo no cotidiano escolar.

Biografia do Autor

Rodrigo Coutinho Andrade, DEGEO-IM/UFRRJ

Doutor em Educação pelo PPGEduc-UFRRJ; Professor do Departamento de Geografia do IM-UFRRJ; Professor do PPGG-FFP/UERJ; Membro do GTPS-UFRRJ; Membro do GT de Ensino da AGB-Niterói; Vice-coordenador do CEGEd-UFRRJ.

Luana Ferreira Correia, SME-RJ

Professora da rede municipal do Rio de Janeiro; mestre em Geografia pela PUC-Rio.

Referências

ALVES, Thiago; PINTO, José Marcelino de Rezende. Remuneração e características do trabalho docente no Brasil: um aporte. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n. 143, p. 606-639, 2011.

ANDRADE, Rodrigo Coutinho. A formação-atuação docente em tempos de ofensiva neoliberal: alguns apontamentos. Terra Livre, v. 2, n. 53, p. 53-92, 2020.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviço na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, Ricardo; PINTO, Geraldo Augusto. A fábrica da educação: da especialização taylorista à flexibilização toytista. São Paulo: Cortez, 2017.

APPLE, Michael W. Relações de classe e de gênero e modificações no processo do trabalho docente. Cadernos de pesquisa, n. 60, p. 3-14, 2013.

BANCO MUNDIAL. Professores excelentes: como melhorar a aprendizagem dos estudantes da América Latina e Caribe. Washington: Banco Mundial, 2014.

BEHRING, Elaine Rossetti. Brasil em contra-reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. São Paulo: Cortez Editora, 2008.

BERNARDO, Marcia Hespanhol. Trabalho duro, discurso flexível: uma análise das contradições do toyotismo a partir da vivência de trabalhadores. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

BONAMINO, Alicia; SOUSA, Sandra Zákia. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, v. 38, n. 2, p. 373-388, 2012.

BRASIL. MEC. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília: MEC, 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União Federal. Diário Oficial da União. Brasília: República Federativa do Brasil, 2007.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília: República Federativa do Brasil, 2014.

COUTO, Marcos Antônio Campos. Base Nacional Comum Curricular – BNCC Componente Curricular: Geografia. Revista da ANPEGE, v. 12, n. 19, p. 183-203, 2016.

DRUCKER, Peter. A sociedade pós-capitalista. São Paulo: Pioneira, 1993.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo Editorial, 2015.

FALLEIROS, Ialê; NEVES, Lúcia Maria Wanderley. Mudanças da natureza da educação básica. In: MARTINS, André Silva; NEVES, Lúcia Maria Wanderley. Educação Básica: tragédia anunciada? São Paulo: Xamã, 2015.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Globo, 2006.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere, volume 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

HIRATA, Guilherme et al. Professores: quem são, onde trabalham, quanto ganham. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 27, n. 102, p. 179-203, 2019.

INEP. Censo Escolar da Educação Básica, 2011-2019. Brasília, DF: INEP, 2019a. Disponível em: <http://www.inep.gov.br>. Acesso em 16 agosto de 2020.

INEP. Censo da Educação Superior, 2011-2018. Brasília, DF: INEP, 2019b. Disponível em: <http://www.inep.gov.br>. Acesso em 16 agosto de 2020.

KUENZER, Acacia Zeneida. As políticas de formação: a constituição da identidade do professor sobrante. Educação & Sociedade, v. 20, n. 68, p. 163-183, 1999.

LACRUZ, Adonai José; AMÉRICO, Bruno Luiz; CARNIEL, Fagner. Indicadores de qualidade na educação: análise discriminante dos desempenhos na Prova Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 24, 2019.

LAMOSA, Rodrigo Azevedo; MACEDO, Jussara Marques de. A regulação do trabalho docente no contexto da reforma gerencial da educação. Revista Contemporânea de Educação, v. 10, n. 20, p. 361-381, 2015.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

MACEDO, Jussara Marques de. Formação para o trabalho docente. Curitiba: Appris, 2017.

MARTINS, Erika Moreira. Movimento" todos pela educação": um projeto de nação para a educação brasileira. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

MÉSZÁROS, Ístvan. A crise estrutural do capital. São Paulo: Boitempo, 2011.

OCDE. Education at a Glance 2018. Brasil: INEP, 2018.

OCDE. Panorama da educação. Education at a Glance 2020. Brasil: INEP, 2020.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Os trabalhadores da educação e a construção política da profissão docente no Brasil. Educar em Revista, n. 1, p. 17-35, 2010.

SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia Marcondes de; EVANGELISTA, Olinda. Política Educacional. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

SOUZA, José dos Santos. Trabalho, Educação e Sindicalismo no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

SOUZA, José dos Santos. Mediação entre a escola e o novo mundo do trabalho na formação de técnicos de nível médio. Trabalho, Educação e Saúde, v. 16, n. 1, p. 123-140, 2018.

SOUZA, José dos Santos. Neofascismo e anticientificismo como estratégia atual da burguesia para enfrentar a crise orgânica do capital. RTPS – Revista Trabalho, Política e Sociedade, v. 5, n. 8, p. 11-22, 2020.

UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir. 4. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, Distrito Federal: UNESCO, 2000.

VENCO, Selma. Precariedades: desdobramentos da Nova Gestão Pública no trabalho docente. Revista Crítica e Sociedade, v. 6, n. 1, p. 72-90, 2016.

Downloads

Publicado

21/06/2021

Como Citar

Andrade, R. C., & Correia, L. F. (2021). Considerações sobre o trabalho docente no Brasil: uma breve radiografia e apontamentos presente-futuros. Boletim Paulista De Geografia, 1(105), 67–92. Recuperado de https://publicacoes.agb.org.br/index.php/boletim-paulista/article/view/1995

Edição

Seção

Artigos