A Divisão Territorial do Trabalho nas Empresas de Auditoria no Brasil

Autores

  • Fernanda Oliveira de Almeida Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine -Sorbonne Nouvelle

Palavras-chave:

auditorias, informação, divisão territorial do trabalho

Resumo

Ante uma economia global que traz consequências locais, o presente trabalho se propôs estudar a divisão territorial do trabalho no Brasil e mais especificamente em São Paulo, partindo do uso do território através de agentes hegemônicos da área das finanças e serviços: as empresas do ramo de auditoria. Sendo o meio geográfico aquele que incorpora a materialidade tecnológica   nos territórios nacionais, se faz essencial entender onde essa materialidade se torna empírica e quais hierarquias são geradas pela apropriação e uso destes territórios. A partir da identificação de uma topologia das empresas de auditoria conforme a hierárquica divisão territorial do trabalho no território nacional,  revelou-se: a) a concentração desses agentes na região Sudeste do país; b) o caráter primaz da cidade de São Paulo, que abriga um número expressivo de sedes tanto de empresas do ramo - sejam elas pequenas ou grandes -, quanto de empresas clientes deste tipo de serviço marcado pelo uso da informação. Tal  seletividade no critério locacional dessas empresas reflete o caráter desigual e a co-presença de diferentes sujeitos e agentes no território brasileiro, sobretudo na cidade de São Paulo, que aparece como produtora e produzida de e por relações econômicas e sociais diferentes e desiguais.

Biografia do Autor

Fernanda Oliveira de Almeida, Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine -Sorbonne Nouvelle

Formada em Geografia pela Universidade de São Paulo, desenvolve pesquisa nas áreas de Geografia Urbana e Economica. Durante a graduação fazia parte do Laboratório de Geografia Política, Planejamento Ambiental e Territorial (Laboplan) e atualmente é estudante/bolsita do mestrado Laglobe (Latin America and Europe in a Global World) organizado pela Universidade Sorbonne Nouvelle.

Referências

Alves, C. A formação do complexo corporativo metropolitano de São Paulo baseado na distribuição das sedes dos bancos de investimento (1966-2013). São Paulo: GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), 22(1), p. 96-114, 2018.

Arroyo, M. A vulnerabilidade dos territórios nacionais latino-americanos: o papel das finanças. In: Lemos, A. I. G.; Silveira, M. L.; Arroyo, M. Questoes territoriais na América Latina. Buenos Aires: Clacso/São Paulo: Universidade de São Paulo, p. 177-190, 2006.

Contel, F. A internalização da categoria “informação” na geografia econômica: da teoria da localização à escola de geografia sueca. In: Videira, S. L.; Costa, P. A.; Fajardo, S. (Org). Geografia Economica: (re)leituras contemporâneas. Rio de Janeiro: Letra Capital, v.1, p.67-86, 2011.

Cordeiro, H K. A “cidade mundial” de São Paulo e a recente expansão do seu centro metropolitano. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro: IBGE, v. 54, n. 3, p. 5-26, 1992.

Lefebvre, H. O Direito a Cidade. São Paulo: Centauro Editora, 2008.

Sandroni, P. Dicionário de Economia do Século XXI. São Paulo: Best Seller, 1989.

Santos, M. A natureza do espaço. São Paulo: Edusp, 2007[1988].

_________. O retorno do território. In: Souza, M. A.; Silveira, M. L. (Org.). Território: globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec/Anpur, p. 15-20, 1994.

_________. Por uma economia política da cidade: o caso de São Paulo. São Paulo: Edusp, 2002.

_________. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 11. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

_________. Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método. In: (Org.). Da totalidade ao lugar. São Paulo: Edusp, 2007[1977].

_________. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Edusp, 2001[1994].

Santos, M. e Silveira, M. L. O Brasil território e sociedade no início do século XXI. São Paulo, 2001.

Santos, S. e Silva, A. M. B. “A empresa de consultoria KPMG e os usos do território brasileiro”. In: Geosul – UFSC. Florianópolis, 2016.

Sassen, S. Sociologia da globalização. Porto Alegre: Artmed, 2010[2007].

Silva, A. M.B. A contemporaneidade de São Paulo: Produção de informações e novo uso do território brasileiro. Tese de Doutorado, Departamento de Geografia. São Paulo: FFLCH/USP, 2001.

Teixeira, S. H. A rede de informação da empresa PriceWaterHouseCoopers no território brasileiro. Relatório Final de Iniciação Científica, FAPESP. Campinas: IG, Unicamp, 2010.

Teixeira, S.H e Silva, A.M.B. Os usos da informação estratégica sobre o território: A empresa de consultoria PriceWaterHouseCoopers e e o Planejamento Territorial. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (ANPUR), v. 13, p. 71-86, 2011.

Tomelin, M. O quaternário: seu espaço e poder. Brasília: Ed. UnB, 1988.

Downloads

Publicado

21/06/2021

Como Citar

de Almeida, F. O. (2021). A Divisão Territorial do Trabalho nas Empresas de Auditoria no Brasil. Boletim Paulista De Geografia, 1(105), 93–105. Recuperado de https://publicacoes.agb.org.br/index.php/boletim-paulista/article/view/1951

Edição

Seção

Artigos