"Tramando geografia(s) com crianças”

uma experiência da geografia das infâncias no CMEI Reinaldo Ridolfi em Vitória/ES

Autores

  • William Carlos Rodrigue Gonçalves Universidade Federal do Espírito Santo
  • Rayssa da Silva Henrique Universidade Federal do Espírito Santo
  • Rayla Heringer Gomes Universidade Federal do Espírito Santo
  • Thaís Barbosa da Costa Universidade Federal do Espírito Santo
  • Gabriel Christ Justo Universidade Federal do Espírito Santo

Palavras-chave:

Cotidianos, Infâncias, Observação.

Resumo

O artigo se debruça na possível relação da Geografia com a Educação Infantil, estando ausente nos currículos oficiais dessa etapa da educação básica. Contudo, a forma da pesquisa aposta na observação das práticas e comportamentos das crianças diante de atividades de Educação Ambiental, objetivando a manifestação de saberes geográficos por parte das crianças. Os pesquisadores e pesquisadoras, por sua vez, escolheram como metodologia as pesquisas cotidianas, tendo como método de análise a observação direta, em que o observador estuda e participa do fazer-pesquisa. Logo, foi necessário lentes de interpretação diante das comunicações dos estudantes como, por exemplo, a de gestos, expressões e sonoridades, para que fosse possível começar as análises. Assim, o trabalho fincou-se na observação direta perante as práticas ambientais do corpo docente do CMEI Reinaldo Ridolfi no bairro Maria Ortiz em Vitória, através de eventos realizados na escola pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMAM). A pesquisa revelou possibilidades da Geografia no ensino infantil, visto que as categorias de análises da ciência geográfica apareceram consideravelmente no cotidiano observado.

Biografia do Autor

William Carlos Rodrigue Gonçalves, Universidade Federal do Espírito Santo

Discente do Mestrado em Geografia/PPGG na Universidade Federal do Espírito Santo.
Licenciado em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.
Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Rayssa da Silva Henrique, Universidade Federal do Espírito Santo

Formada em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Rayla Heringer Gomes, Universidade Federal do Espírito Santo

Formada em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Thaís Barbosa da Costa , Universidade Federal do Espírito Santo

Formada em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Gabriel Christ Justo, Universidade Federal do Espírito Santo

Formado em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Referências

ALVES, N. Sobre movimentos das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. Revista Teias, v.4, n.7, p.8, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa / Paulo Freire. São Paulo: Paz e Terra, 25.ed. 1996.

FOCHI, P.S. A criança é feita de cem: as linguagens em Malaguzzi. In: REDIN, M. M; FOCHI, P.S. Infância e educação infantil II: linguagens. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2014. Cap. 1, p.6-21.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 6.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011. p.86-87.

LOPES, J. J. M. Geografia das Crianças, Geografias das Infâncias: as contribuições da Geografia para os estudos das crianças e suas infâncias. Revista Contexto & Educação, v.23, n.79, p.65-82, 2008.

LOPES, J. J. M. Geografia da Infância: contribuições aos estudos das crianças e suas infâncias. Revista de Educação Pública, v.22, n.49/1, p.283-294, 2013.

LOPES, J. J. M.; VASCONCELOS, T. de. GEOGRAFIA DA INFÂNCIA: Territorialidades Infantis. Currículo sem Fronteiras, v.6, n.1, pp. 103-127, Jan/Jun 2006.

Downloads

Publicado

14/09/2022

Como Citar

RODRIGUES GONÇALVES, W. C.; HENRIQUE, R. da S. .; GOMES, R. H.; DA COSTA, T. B.; JUSTO, G. C. "Tramando geografia(s) com crianças” : uma experiência da geografia das infâncias no CMEI Reinaldo Ridolfi em Vitória/ES . Terra Livre, [S. l.], v. 2, n. 57, p. 353–379, 2022. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/index.php/terralivre/article/view/2330. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos