Estágio Curricular das Licenciaturas como zonas de fronteiras

descrições e interpretações

Autores

Palavras-chave:

Estágio Curricular da Licenciatura, Zonas de Fronteira, Formação de Professores

Resumo

Os Estágios Curriculares das Licenciaturas de desvelam como campo de disputa e construção de sentido para a formação de professors. Nesse interim, os licenciandos transitam entre a escola e a universidade e, nessa travessia constante, se fazem transeuntes que atravessam os limites da docência e se esparramam entre as zonas de fronteira. Portanto, as experiências dos estágios curriculares não se resumem às determinações legais impostas pelos órgãos legisladores ou documentos oficiais, mas se abrem para as inúmeras possibilidades que os encontros e desencontros das zonas de fronteira promovem para os licenciandos que, tensionados pelos atravessamentos dos estágios, podem reconstruir todos os sentidos que carregam consigo.

Referências

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG. 1989.

FERNANDES, M. A. Consciência, vivência e vida: um percurso fenomenológico. In: Revista de abordagem gestáltica. v. 16, n. 1, jan/jul, 2010, p. 29-41.

FERRAÇO, C.E. Pesquisa com o cotidiano. Educação e Sociedade. Campinas, v. 28, n. 98, p.73-95, jan-abr. 2007.

FRIGÉRIO, R. C. Oficinas Pedagógicas de Geografia: Costurando narrativas de experiência da vida docente, Campinas-SP, 2018. 213f. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

KENSKI, I. M. A vivência escolar dos estágios e a prática de pesquisa nos estágios supervisionados. In: PICONEZ, S. C. B. (Org.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. 10ed. Campinas: Papirus, 1991, v. 01, p. 39-52.

OLIVEIRA JUNIOR, W. M. Encontros em zonas de fronteiras: contaminações entre estágio supervisionado e linguagens. Teoria & Prática (Campinas), v. 35 n. 69, p. 133-147, 2017.

PAIS, J. M. Vida Cotidiana: Enigmas e Revelações. São Paulo: Cortez, 2003. 272p.

PICONEZ, S. C. B. A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado: aproximação da realidade escolar e a prática da reflexão. In: PICONEZ, S. C. B. (Org.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. 10ed.Campinas: Papirus, 1991, v. 01, p. 15-38.

PONTUSCHKA, N. N. A formação inicial do Professor de Geografia. In: PICONEZ, S. C. B. (Org.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. 10ed. Campinas: Papirus, 1991, v. 01, p. 101-124.

SANTOS, I. S. dos. Formação docente em Geografia: antagonismos e conhecimentos acadêmicos e escolares no Estágio Supervisionado. In: NUNES, M. D. dos. R.; SANTOS, I. S. dos.; MAIA, H. C. A. (Org.). Geografia e Ensino: aspectos contemporâneos da prática e da formação docente. 1ed.Salvador, BA: EDUNEB, 2018, v. 1, p. 207-230.

VALLADARES, M. T. R. Narrativas como passaportes em zonas de fronteiras: Estágio Curricular em Geografia. In: Portugal, J. F.; Chaigar, V. A. M. (Org.). Educação geográfica: memórias, histórias de vida e narrativas docentes. 1ªed.Salvador - Bahia: EDUFBA, 2015, v.1, p. 73-96.

VALLADARES, M. T. R. Zonas de fronteiras: entre escolas e academias. In: Bezerra, A. C.; Lopes, J. J.; Fortuna, D. (Org.). Formação de professores de Geografia: diversidade, prática e experiência. 1ªed.Niterói - RJ: Editora da UFF, 2014, v. 1, p. 51-84.

VALLADARES, M. T. R. Vivências em zonas de fronteiras... as narrativas se fazem travessias... (Um estudo com narrativas e com os cotidianos no estágio curricular da licenciatura de Geografia na UFES), Vitória, 2009. 277f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Espirito Santo, Centro de Educação.

Downloads

Publicado

30/03/2022

Como Citar

COSTA AGUIAR, F. Estágio Curricular das Licenciaturas como zonas de fronteiras: descrições e interpretações. Terra Livre, [S. l.], v. 1, n. 56, p. 307–328, 2022. Disponível em: https://publicacoes.agb.org.br/index.php/terralivre/article/view/2219. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos