NOVA CHAMADA PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS

04/02/2017

A construção do Brasil é um tema de extrema relevância para a compreensão da disputa pelo exercício do poder que se dá de forma profundamente desigual entre os mais diversos grupos sociais. Ao mesmo tempo esse processo condiciona as ações sociais presentes e a efetivação de projetos emancipatórios. Tal construção marca o país com profundas disparidades sociais e regionais e, até o presente momento histórico, não permite a realização de uma democracia plena, tampouco possibilita afirmar uma realidade concreta que garanta a reprodução social dos sujeitos. Em decorrência disso, a cidade e o campo são concebidos e projetados para interditar as coexistências. Em uma conjuntura na qual os poucos avanços sociais e territoriais conquistados historicamente são colocados em causa, a AGB objetiva problematizar os nexos entre a ciência geográfica, a ação política transformadora e o exercício democrático e conclama todas(os) as(os) geógrafas(os) a pensar o Brasil que queremos, através da submissão de artigos para a nossa revista. Serão aceitos para avaliação pelo Conselho Editorial artigos sobre os diferentes campos da ciência geográfica, o que contempla, entre outros, aqueles que no XVIII ENG (Encontro Nacional de Geógrafos) foram organizados em ÁREAS GERAIS (1. Cidade/Urbano; 2. Campo/Rural; 3. Pensamento Geográfico; 4. Natureza/Meio Ambiente; 5. Educação) e EIXOS TEMÁTICOS (1. A produção social do Brasil e a construção de suas geografias; 2. A urbanização brasileira: que cidade queremos?; 3. Geografia, crise ambiental e desenvolvimento econômico. 4. Ação política, lutas sociais e representação: por um outro projeto de sociedade;  5. As transformações no mundo da Educação: educar para que Brasil?  6. Questão agrária: conflitos, tensões e projetos;  7. Disputas cartográficas nas dimensões do poder;  8.Estado, capital e poder: geografia política do Brasil;  9.Para transformar o Brasil: raça e gênero nos debates geográficos). O prazo das submissões para a Terra Livre 46 vai até o dia 28 de fevereiro de 2017.


 

Notícias

 

Comunidade agebeana

 

A Revista Terra Livre está aderindo também ao formato online, através do sistema SEER - o formato impresso continua, mas agora agregamos também o meio digital. O novo formato encontra-se ainda em fase de finalização da inserção de todas as edições, e pedimos desculpas por alguma falha, falta ou incorreção que ainda não acertamos, mas  convidamos para uma visita em nossa página. 

 

Hoje, em nosso endereço eletrônico (indicado abaixo), já encontram-se disponíveis os números de 01 a 40 - ressalvando-se algumas lacunas, como a TL 11-12, pelas dificuldades envolvidas no processo de digitalização página por página de cada revista impressa. Em breve, os números 41 e 42, que estão já finalizados em processo de editoração, serão também disponibilizados.

 

Convidamos também nossa comunidade para novas submissões de artigos, para os números 43, 44 e 45, cujas ementas de chamadas encontram-se abaixo. O prazo para submissão desta chamada tripla  encerra-se no dia 31 de março de 2016.

 

A tod@s que, ao longo deste último período, fizeram submissões através do email terralivreagb@gmail.com, informamos que entraremos em contato individualizado. Este endereço de email continuará sendo nosso canal de comunicação com a comunidade.

 

Contamos com o apoio de toda a comunidade para o fortalecimento deste importante instrumento de nossa entidade.

 

Saudações agebeanas

 

Comissão de Publicações da AGB-DEN (2014-2016)

 

Renato Emerson dos Santos

 

André Pasti

REVISTA TERRA LIVRE (versão online)
http://www.agb.org.br/publicacoes/index.php/terralivre/index

 

 

 

NOVAS CHAMADAS PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS

 

Revista Terra Livre n. 43 – “O Brasil e a construção endógena do pensamento geográfico”

 

O que constrói a unidade do pensamento geográfico brasileiro? Escolas de pensamento se constituem a partir da organicidade e circularidade de referenciais de construção das ideias, que delineiam as agendas legitimadas, percursos válidos, bases teóricas e cânones epistêmicos. Existe uma “Escola Brasileira de Geografia”? A geografia brasileira pode ser chamada de “Escola Brasileira de Geografia”? Qual a relação entre o predomínio do remetimento à realidade brasileira e a constituição do pensamento geográfico brasileiro? Este número deverá abordar problemáticas como: a construção do pensamento geográfico a partir da realidade brasileira; a unidade e relações/conexões dos processos geográficos que ocorrem no Território Brasileiro; a Educação e Ensino de Geografia tendo em vista o pensamento da geografia e o Brasil; entre outros temas afins.

 

 

 

Revista Terra Livre n. 44 – “Das transformações do mundo do trabalho à precarização da educação”

 

As transformações do mundo do trabalho implicam em um conjunto de ações como: flexibilização, terceirização, racionalização de processos e exploração que desregulamentam direitos e criminalizam as lutas dos trabalhadores, constituindo um quadro de precarização.  No âmbito da educação a precarização envolve o controle do quê ensinar, como ensinar e para quem ensinar. Isso implica na análise da formação docente e dos conteúdos da geografia.  Reconhecendo essas condições históricas, é urgente que neste número da Revista Terra Livre sejam debatidos: qual o significado de ensinar geografia atualmente? Qual o papel da geografia na educação brasileira? Qual o papel da geografia na análise e na transformação da sociedade?

 

 

 

Revista Terra Livre n. 45 – “(Qual) é o fim do Ensino de Geografia?”

 

Esta edição se agrega ao processo de organização do VIII Encontro Nacional de Ensino de Geografia – Fala Professor, realizado pela AGB em Catalão (GO) em outubro de 2015. Neste sentido, o dossiê conclama artigos relacionados aos Eixos Temáticos delineados para o evento, a saber: 1. Educação popular e contra-hegemônica (Educação do campo, Educação popular, Educação indígena); 2. Direitos humanos (Diversidade cultural, Étnico-racial, Inclusão, Questão de gênero e sexualidade); 3. Políticas e lutas educacionais (Precarização do trabalho docente, Políticas educacionais, currículo e mecanismo de avaliação, A geografia na sala de aula frente à mídia e as geografias hegemônicas); 4. Práticas de Ensino (Novas tecnologias e outras geografias, Práticas pedagógicas e materiais didáticos). Outros temas associados à provocação trazida no tema do evento "(Qual) é o fim do Ensino de Geografia?" – como outras políticas públicas e ações no campo da educação e do ensino da geografia também serão aceitos.

 

 

 

--

 

Coordenação de Publicações DEN / Terra Livre